Augusto Inácio: "Estou preocupado, mas não levo as mãos à cabeça"

Augusto Inácio: "Estou preocupado, mas não levo as mãos à cabeça"
Cristina Aguiar

Tópicos

O Aves tem apenas um triunfo em sete partidas oficiais, somando cinco derrotas seguidas. O treinador Augusto Inácio acredita que outubro será o mês da recuperação, a começar já este sábado, na única partida antecipada da jornada 10 da Liga, frente ao Tondela. "Este é o ano menos zero", afirmou, em alusão à planificação da temporada: "Temos metade do orçamento do ano anterior!".

Planeamento da temporada:

"O orçamento é praticamente metade daquele que tínhamos no ano passado. Este é o ano menos zero. Com o dinheiro que temos devemos procurar os melhores. Os outros andaram a comer a carne e eu ando a roer os ossos, até chegar novamente à carne. Contratámos 19 jogadores e só ficaram o Beunardeau e o Falcão da equipa titular. Esperava, mesmo assim, ter mais dois ou três pontos. Mas não é uma hecatombe. Encaro isto de forma fria, sabendo onde posso chegar. O exterior não quer saber das nossas dificuldades, quer é ganhar, mas eu quero ganhar mais do que todos. Eu é que tenho de passar pelas constantes lesões. São lesões traumáticas que não podemos controlar. Claro que estou preocupado, mas não vou meter as mãos na cabeça. Vamos recuperar. Acredito plenamente que vamos ficar na Liga. Vamos entrar num ciclo mas positivo para nós."

Cinco derrotas consecutivas:

"Estamos a passar um tempo complicado em termos de resultados, mas em termos exibicionais e competitivos notou-se uma melhoria contra o Paços de Ferreira e o Sporting. Continuamos a ter as mesmas dificuldades, não conseguimos recuperar nenhum central e temos apenas um disponível. A resposta foi boa, sinto a equipa mais junta, mais conhecedora. O sistema aplicado dá mais segurança defensiva, sinto a equipa a crescer. Os jogadores querem e acreditam."

Jogo contra o Tondela:

"Está a fazer um bom campeonato, fora de casa ainda não perdeu, o que significa que é uma equipa defensivamente muito consistente e tem jogadores rápidos na frente e aplica bem o contra-ataque. Queremos vencer, mas reconhecemos que é um adversário perigoso, está mais cómodo. Queremos dar a volta e recuperar, este jogo é fundamental para isso. Jogamos em casa e temos a obrigação de ganhar o jogo, e se o resultado não for uma vitória será negativo para nós."

Antecipação da jornada:

"Fui eu que pedi a antecipação deste jogo, se fosse hoje já não pedia, porque no momento em que foi as coisas estavam bem calculadas e também dava jeito ao Tondela, porque ia ter três jogos num espaço de uma semana,mas naquela altura não tinha os problemas que tenho hoje. Vamos jogar e com ambição. A equipa está a ir ao encontro do que disse no princípio de época: da maneira como estamos, com os jogadores a virem com o campeonato em andamento, talvez comecemos a ficar mais consistentes lá para outubro...Entramos em outubro, é o tal mês. Só fui traído pelas lesões que não deviam ter acontecido."