"Estamos dentro das melhores práticas em termos europeus", diz Luís Filipe Vieira

"Estamos dentro das melhores práticas em termos europeus", diz Luís Filipe Vieira

Luís Filipe Vieira aproveitou encontro com patrocinadores do Benfica para fazer contas

Luís Filipe Vieira aproveitou o encontro com parceiros e patrocinadores do Benfica, que decorreu esta quarta-feira, para reafirmar pormenores que, no seu entender, revelam a curva ascende do Benfica desde a sua chegada à presidência do clube e da SAD. "Vocês foram e são um aliado fundamental da nossa estratégia de afirmação/ como melhor clube nacional e um dos maiores clubes do mundo. Estratégia que tem sido, sem falsas modéstias, bem sucedida", disse no curto discurso.

"Nas mais diversas áreas e nos mais diversos rankings, estamos dentro das melhores práticas em termos europeus e, em alguns casos, continuamos a ser o único clube, fora dos cinco principais campeonatos, a constar em alguns desses rankings e indicadores", disse ainda, sublinhando assim a evolução que o Benfica, no seu entender, tem assistido. "Se há 15 anos eram menos de 100, hoje são mais de 500", afirmou, referindo-se ao número de parceiros e patrocinadores.

No mesmo local e no mesmo encontro, Domingos Soares Oliveira faz também contas ao trabalho feito. "Se pensarmos nas obras que fizemos em 2006/2007, essa obra hoje, é uma obra ultrapassada. Mas o Seixal e o Benfica Campus não está ultrapassado porque soubemos sempre continuar a reinvestir, um bocadinho à imagem daquilo que fazemos no estádio também. Portanto estamos muito orgulhosos e tenho a certeza que daqui a dez anos, aquilo que se verá, aqui no Seixal, será muito diferente daquilo que vemos hoje", disse à BTV.

O administrador da SAD do Benfica perspetivou ainda o futuro, garantindo que o centro de estágio do clube será bem diferente daqui a 10 anos. "temos intenções de expandir ainda mais aquilo que é a nossa área de atuação, do ponto de vista de Campus e até do ponto de vista de condições hoteleiras, o presidente já falou sobre o colégio e, portanto, se quisermos projetar a dez anos de distância, teremos instalações completamente diferentes das que temos hoje", rematou.