"Nos dois primeiros anos no Benfica estive para ser dispensado"

"Nos dois primeiros anos no Benfica estive para ser dispensado"
Ana Luísa Magalhães (entrevista)/João H. Vieira (edição de vídeo)

Tópicos

Em entrevista a O JOGO, Nuno Santos lembra as vezes em que quase foi dispensado do Benfica. Custou, mas saiu a ganhar.

Seria normal ter o desejo de apagar os piores momentos, mas Nuno Santos não pensa assim.

"Não gostava de apagar porque são momentos que temos para evoluir. Nos dois primeiros anos no Benfica, estive para ser dispensado mas não fui, porque houve pessoas que acreditaram em mim", respondeu o médio do Boavista, com uma ressalva: "Não quero dizer pior, mas mais difícil. Somos uns meninos, estamos habituados a estar na casinha com os pais, tranquilos da vida e ali é fazer pela vida. Mas se calhar, se as coisas tivessem corrido bem e eu não tivesse aprendido como aprendi, não seria o mesmo jogador que sou hoje", contou o médio, em entrevista a O JOGO.

Por outro lado, a eleição do melhor momento levou algum tempo. "Estou aqui a pensar parece que tenho 30 anos e que a minha carreira foi muito vasta [risos]. Creio que foi há dois anos, antes de um Mundial de sub-20 em que acabei a época na equipa B do Benfica e em sete jogos fiz sete golos", recordou Nuno, que tem atuado no meio-campo, mas também sabe jogar nas alas. "Desde muito novo fui habituado a jogar como médio. Depois, passei por extremo, durante a formação, se calhar devido à falta de intensidade, como lhe chamam. Fez-me ver o jogo de uma perspetiva diferente. Mas onde me sinto mesmo confortável é no meio-campo."

Noutro exercício, Nuno assumiu que a "visão de jogo e qualidade de passe" são os seus aspetos mais fortes, enquanto a "dimensão física" tem sido aperfeiçoada. "Não é criticar ou elogiar, mas o futebol é um bocadinho de modas. Há uns anos, a questão que mais se evidenciava era a qualidade do jogo. Agora é mais a vertente física. Creio que se conseguirmos conjugar as duas é perfeito. A capacidade de aguentar mais tempo a uma alta intensidade é claramente importante. Mas se não tivermos qualidade com a bola e não soubermos o que estamos a fazer..."