Frederico Varandas pede ação à FIFA: "Vivemos um mercado selvagem"

Frederico Varandas pede ação à FIFA: "Vivemos um mercado selvagem"

Outro tema na mesa foi o papel histórico dos leões na área da formação. Varandas reforçou essa ideia

O presidente do Sporting esteve nas instalações da FIFA, na Zurique e foi recebido pelo líder daquela instituição. O dirigente leonino aproveitou a ocasião para pedir maior regulação no mercado de transferência que está a estrangular clubes formadores como o... Sporting.

"Fomos muito bem recebidos aqui mas, mais do que uma visita de cortesia, esta foi uma visita que visa ter o Sporting mais perto dos órgãos de decisão. Não nos podemos afastar de quem regula o futebol, seja ao nível interno seja ao nível externo", começou por referir Frederico Varandas à Sporting TV. Acompanhado pelo diretor desportivo, o presidente dos leões revelou um dos alertas deixados a Gianni Infantino. "Tivemos uma conversa extremamente interessante. Mostrei a minha preocupação com a falta de regulação do mercado de transferência e estamos a viver uma fase de mercado verdadeiramente selvagem, onde os clubes estão cada vez mais pobres. As receitas vão aumentando mas o dinheiro não fica nos clubes e tem de haver coragem para que se faça regulação. Um clube com a dimensão do Sporting sente-se cada vez mais estrangulado e com dificuldades de sobrevivência. A FIFA tem o dever de enfrentar o problema de frente e de regular, de uma vez por todas, o mercado. Os clubes têm de se unir nesta guerra", afirmou Frederico Varandas.

Outro tema na mesa foi o papel histórico dos leões na área da formação. Varandas reforçou essa ideia, insistindo na questão da proteção contra os "tubarões". "Falei da nossa história de clube formador, que formou os melhores jogadores do futebol português: dois deles foram Bola de Ouro, um dos quais o maior jogador português de todos os tempos. Os clubes formadores, como o Sporting, têm de ser protegidos. Temos muitas dificuldades em lutar contra gigantes que chegam antes de se fazerem os contratos profissionais com os jogadores, é um vale-tudo. Os clubes formadores em Portugal têm dificuldades precisamos que a FIFA intervenha em força", pediu o líder leonino.