Análise à primeira fase da Liga Revelação com Boavista e Marítimo em destaque

Análise à primeira fase da Liga Revelação com Boavista e Marítimo em destaque
Filipa Mesquita

Tópicos

O espetáculo concebido para promover o crescimento competitivo dos mais novos terá pontapé de saída nos primeiros dias de janeiro.

Concluída a primeira fase da Liga Revelação e com as etapas seguintes prestes a arrancar - apuramento de campeão e Taça Revelação -, uma análise à prova e aos intervenientes permite perceber que a competição criada pela Federação Portuguesa de Futebol com o intuito de dar visibilidade a novos talentos e facilitar o crescimento na transição de juniores para seniores está a ser, efetivamente, a rampa de lançamento idealizada.

Nesta fase inicial, a média de idades entre os jogadores mais utilizados ronda os 20,95 anos. Ou seja, a aposta nos miúdos tem sido cumprida. Nesse capítulo, o Boavista é quem utiliza jogadores mais novos, com a média a rondar os 19 anos. Seguem-se Sporting, Benfica, Braga, Vitória de Guimarães e Famalicão, com média de 21 anos.
Outro ponto que merece destaque: 17 por cento dos jogadores convocados têm até 18 anos. Um dado que corresponde a um aumento face à mesma altura do ano passado, em que a percentagem era apenas de 11 por cento.

Os jovens têm agora um palco para brilhar, principalmente os atletas portugueses: são 592 em prova, o que representa 69 por cento entre os convocados e 66,3 por cento entre os utilizados. Apesar de todos os clubes terem acima de 57 por cento de portugueses nos convocados, há quatro equipas que merecem destaque pelo facto de esta aposta se revelar ainda mais consistente. O Rio Ave lidera esse ranking, com 85 por cento dos atletas de nacionalidade portuguesa. Seguem-se Sporting (83 por cento), Belenenses (79 por cento) e Académica (78 por cento).

Depois desta análise mais detalhada aos intervenientes, passemos para o espetáculo. Nesta primeira fase, disputada em 12 jornadas, o resultado mais vezes visto foi o 1-3 e 45 por cento das partidas foram ganhas pelos visitantes. A média de golos por jogo na Liga Revelação está em 3,17, com o Marítimo a aparecer como a equipa que mais marcou (30) e o Braga como a que menos sofreu (11). Estes dois clubes fazem parte dos seis que integram a fase de apuramento do campeão, juntamente com Leixões, Famalicão, Estoril e Belenenses. O sorteio já foi feito e os jogos estão agendados, quer os da fase de Campeão, quer os da Taça Revelação, que conta com os restantes oito clubes da primeira etapa. Estes últimos começam com metade dos pontos conquistados na primeira fase. No apuramento de Campeão é o Estoril quem parte na frente, com 13 pontos. Já na Taça Revelação é o Benfica, com 11 pontos.

O espetáculo concebido para promover o crescimento competitivo dos mais novos terá pontapé de saída nos primeiros dias de janeiro.