Como a NBA se alterou por completo com a lesão grave de Kevin Durant

Como a NBA se alterou por completo com a lesão grave de Kevin Durant

Extremo rompeu o Tendão de Aquiles direito, enfrentando uma paragem que pode ir de nove meses a um ano e terá mudado radicalmente o mercado deste verão, durante o qual se esperava que o jogador se declarasse agente-livre, mas não só

A contas com uma lesão num gémeo, Kevin Durant voltou após mais de um mês de ausência, para tentar salvar Golden State no quinto jogo das finais da NBA contra Toronto, mas o seu regresso ao ativo durou apenas 11 minutos e 57 segundos.

O extremo lesionou-se novamente, desta vez com mais gravidade, com os responsáveis dos Warriors a avançarem que o extremo terá rompido o Tendão de Aquiles direito, um dos cenários mais temidos por qualquer desportista e que a ressonância magnética já realizada em Nova Iorque deverá confirmar.

Agora, há meios norte-americanos que adiantam que Durant não estava pronto para o regresso. "Há fontes que garantem que, ainda que tenha sido libertado para o jogo 5, ele não estava nem perto de estar a 100 por cento. As sessões de treino individual e a sessão ligeira de domingo não tinham como simular o rigor de um jogo de título ultra-competitivo", escreveu Chris Haynes do Yahoo Sports.

Mas o que é certo é que se tratou de um infortúnio que vai alterar o panorama da NBA radicalmente, como assinalou Brian Windhorst da ESPN no final da partida. "O agente dele estava branco como um fantasma. A NBA mudou esta noite."

Com 30 anos - faz 31 a 29 de setembro -, o craque seria um dos nomes que iria animar o mercado da liga norte-americana este verão, pois esperava-se que se declarasse agente-livre depois de ter assinado um contrato 1+1 com a equipa de Oakland em 2018.

Assim, Durant poderá ter sido "empurrado" a permanecer mais um ano com Golden State, acionando o segundo ano do vínculo, que lhe garante 31,5 milhões de dólares mesmo sem jogar - o tempo estimado de paragem nesta lesão vai de nove meses a um ano -, adiando a opção de ser agente-livre para 2020.

Ao mesmo tempo, e havendo várias equipas com espaço salarial disponível (casos de New York, apontado como o destino mais provável, mas também Brooklyn, LA Clippers e até LA Lakers), o interesse no jogador e a intenção de oferecer-lhe um contrato máximo para o qual seria elegível por ter mais de 10 anos de experiência na liga - no caso dos Warriors seriam 220 milhões por cinco anos, nos restantes emblemas 164 milhões por quatro - podem ter ficado comprometidos.

Até porque, como demonstra uma recolha feita pela ESPN, uma rotura do Tendão de Aquiles, pesadelo que afetou uma série de notáveis, incluindo Kobe Bryant, tem impacto futuro no rendimento dos jogadores.

A nível desportivo, e talvez menos importante nesta altura, Durant, que aos 29 anos se tornou o segundo mais jovem a atingir a fasquia dos 20 mil pontos e é o 31.º marcador da história da NBA (22940), estaria a duas temporadas de entrar no top-15 e se permanecesse saudável poderia até destronar Kareem Abdul-Jabbar da liderança. E assim é que a liga norte-americana se alterou, de diferentes formas, desde a madrugada de terça-feira.