Premium Fraco inquérito, oportunidade desperdiçada

Fraco inquérito, oportunidade desperdiçada

Tenho dificuldade em perceber as razões por que o "Correio da Manhã" e a Intercampus restringiram à população maior de idade o seu estudo sobre o número de portugueses adeptos de cada clube. Num campo em que poucos mudam de preferência depois dos oito anos e virtualmente ninguém o faz acima dos doze, deixar de fora os menores de 18 é tornar o esforço praticamente inútil.

Só sabendo o que sentem os adolescentes e os jovens, em pleno tempo da paixão, poderemos ter uma ideia do assunto. O que, se pensarmos apenas no universo dos clubes nacionais, até pode beneficiar o Benfica, tantas vezes campeão nos últimos anos. Infelizmente, teremos de considerar também os clubes estrangeiros, de que há cada vez mais adeptos, e as pessoas que não gostam de futebol nem querem reclamar um clube, que me parecem cada vez mais também.