Premium O espetáculo de Anfield merecia não ter casos

O espetáculo de Anfield merecia não ter casos

JOGO DO BICHO - Más decisões vemos até em jogos de grande mediatismo, como foi o Liverpool-FC Porto, em que o juiz espanhol protegeu claramente um dos gigantes do futebol europeu.

Apetece-me começar este texto com um cartão amarelo às arbitragens... por causa dos cartões. Nos dois jogos que vi com maior atenção, o Chaves-Belenenses e o Portimonense-FC Porto, percebi alguns exageros nas sanções disciplinares. Em Chaves, as expulsões parecem-me exageradas; em Portimão, os da casa até foram mais prejudicados, uma vez que os amarelos muito duvidosos que viram vão prejudicar a equipa na próxima jornada, pois fica com dois jogadores impedidos de alinhar.

São os árbitros que são maus? Não, até sou de opinião que os árbitros portugueses têm qualidade, mas a pressão de que estão a ser alvo nesta fase condiciona-os e leva-os a defenderem-se, não defendendo o jogo e os jogadores. Não têm a culpa toda, há muita responsabilidade de quem condiciona. Eu sei que isto pode ser lirismo, mas não seria mais bonito se os árbitros pudessem fazer o trabalho deles sem estarem condicionados, como estão? Más decisões vemos até em jogos de grande mediatismo, como foi o Liverpool-FC Porto, em que o juiz espanhol protegeu claramente um dos gigantes do futebol europeu, finalista vencido da Champions na última temporada. Ficou pelo menos um penálti por marcar e Salah tinha de ser expulso. São duas decisões que podem ter muita influência no jogo da segunda mão.