Premium O mesmo peso, duas medidas

Benfica e Sporting perderam por 2-1 dois jogos completamente diferentes.

1 - Claro que é muito cedo na pré-temporada para tirar qualquer conclusão que não seja precipitada, mas se é verdade que Benfica e Sporting perderam ambos por 2-1, há uma diferença considerável entre uma derrota frente ao Anderlecht e outra frente ao Rapperswil. Os encarnados mostraram estar mais perto de resolver as saídas de João Félix e Jonas - alvo de uma despedida emocionante - quer pelas boas indicações deixadas por De Tomás e Chiquinho, quer, sobretudo, porque os princípios de jogo defendidos por Bruno Lage estão lá, como ficou evidente na segunda parte, não obstante as dificuldades colocadas pelo relvado e pela utilização de 30 jogadores. O Sporting, por outro lado, continua a ser duas equipas: uma com Bruno Fernandes, que assusta os adversários, e outra sem ele, que assusta os sportinguistas. Ora, tudo indica que será a segunda a enfrentar a próxima temporada.

2 - Dyego Sousa renovou por quatro temporadas com o Braga no início de março, vendo a cláusula de rescisão subir até aos 26 milhões de euros. Há pouco mais de um mês, António Salvador garantia ter recusado propostas entre os 12 e os 15 milhões de euros em janeiro e acrescentava que o avançado era negociável "mas apenas pelo preço justo". É verdade que a parte final da temporada não correu bem, nem ao Braga, nem a Dyego Sousa que, ainda assim, faz parte das escolhas de Fernando Santos para a Seleção Nacional precisamente desde março. Carlos Pereira, presidente do Marítimo, que detinha 25% das mais-valias geradas por uma transferência, ficou surpreendido com a saída do jogador para os chineses do Shenzhen por "apenas" 5,4 milhões de euros. Não foi o único.