Premium A revolta do Braga com o calendário de agosto

A revolta do Braga com o calendário de agosto
José Manuel Ribeiro

Tópicos

Ninguém sabe tanto de pré-eliminatórias como António Salvador. Mas pensava-se que também sabia mais do G15

As eliminatórias de agosto estão para as equipas portuguesas como o pólen da primavera para os alérgicos. Até podem ter sido fatais para algumas menos experientes, como o Paços de Ferreira que ganhou os galões internacionais apenas para quase descer à II Liga a seguir. Mas quando agosto é um cataclismo mesmo a sério, faltam emblemas portugueses na Liga Europa e na Liga dos Campeões, ou seja, faltam pontos no ranking da UEFA. Menos pontos, mais pré-eliminatórias, mais macacoas, menos pontos ainda. A sinusite sobra para todos.

Até uma recente intervenção do presidente da FPF, a preocupação com este problema menor era pior do que zero. Em vez de protegerem as equipas que andam na faina internacional, os regulamentos passaram a torturá-las mais um bocadinho. Foi nisso (rigorosamente apenas nisso) que deu o fim do travão, no calendário, aos jogos entre os primeiros classificados nas primeiras jornadas. O Benfica teve de aguentar o Sporting a meio do apuramento para a Champions, há um ano, e o FC Porto vai levar com o Benfica esta época, na mesma situação, sem se ganhar nada com isso.