Premium O pequeno-almoço na cama de Hugo Miguel e Godinho

O pequeno-almoço na cama de Hugo Miguel e Godinho
José Manuel Ribeiro

Tópicos

Aos domingos, ainda é possível vencer o Benfica. Às segundas-feiras, é tal e qual como interrogar o Joe Berardo

Não sei que clube ganhou mais, esta época, com os erros dos árbitros, nem consigo imaginar que matemática ensina a fazer essas contas, mas sei que nas discussões FC Porto-Benfica há uma diferença substancial em favor do ainda vice-campeão: o dia seguinte. Beneficiado ou prejudicado, o Benfica ganhará sempre o dia seguinte, por ser o Joe Berardo da Liga portuguesa e por ter uma estratégia de comunicação que tomou conta das televisões privadas, onde o rácio de comentadores lisboetas e abertamente benfiquistas já atinge uma dimensão cómica. Tão cómica que reduz a pó discussões importantes como a do Rio Ave-Benfica de anteontem.

Para matar o assunto: creio que o campeonato se decidiu no FC Porto-Benfica e por razões 100% futebolísticas. Ponto. Os motivos para se debater o disparate da dupla Hugo Miguel/Luís Godinho não têm a ver com classificações. Primeiro está a inutilidade do videoárbitro, que era suposto sossegar os adeptos. Se não serve para nada naquela combinação de lances, num jogo decisivo, então a FPF está a despejar dinheiro no lixo. Por outro lado, se uma equipa de arbitragem dispõe do videoárbitro e mesmo assim toma decisões como aquela, o castigo não pode ser uma semana na jarra, porque é diferente errar assim - e porque a função da FPF é lutar para que todos os adeptos se sintam respeitados. Como vai fazer isso?