Armando Evangelista: "Posso equacionar o posicionamento do árbitro em relação à bola"

Armando Evangelista: "Posso equacionar o posicionamento do árbitro em relação à bola"

Declarações do treinador Armando Evangelista após o Boavista-Arouca (1-0), partida da 29ª jornada da Liga Bwin

Sobre o jogo: "Olhando aos 90 minutos, parece-me que a divisão de pontos poderia ser mais adequada àquilo que se passou em campo. Acho que não houve supremacia evidente de nenhuma equipa para se justificar este desfecho. Nas oportunidades que teve, o Boavista conseguiu fazer um golo, porque houve alguma indefinição entre dois jogadores nossos na disputa de uma segunda bola, que ficou descoberta para poder lançar o Kenji Gorré na profundidade. Na primeira parte, para que pudéssemos ter lances destes, faltou-nos um pouco de definição e mais sangue-frio."

A segunda parte: "Na segunda parte, acho que tivemos o domínio do jogo e muitas ameaças próximas da baliza, mas, verdade seja dita, o Boavista defendeu-se muito bem. De novo, podíamos ter definido melhor num ou noutro lance. Agora, parece-me um exagero grande haver três pontos para um lado e zero para o outro, sendo que isto é futebol e ganha quem marca."

Luta pela permanência: "É verdade que temos mais um jogo do que alguns adversários diretos, mas três deles gostariam de estar na posição em que está o Arouca. Se a I Liga acabasse agora, tínhamos os objetivos cumpridos e a gestão passa por aí. Este clube e estes jogadores sabiam exatamente aquilo que os esperava durante esta temporada."

A temporada: "Uma época difícil, de trabalho e muita persistência, em que teríamos de lutar até ao fim para alcançar os objetivos a que nos propusemos. Quando não vendemos sonhos a ninguém e os nossos jogadores sabem aquilo que têm de fazer e que esperam do outro lado, metade do trabalho está feito, porque irá ser na luta, raça, crença e qualidade."

Remate de Pité intercetado pelo árbitro nos descontos: "Perante a justificação do juiz, tenho de as aceitar, porque as leis do jogo são claras. Agora, posso é equacionar o posicionamento do árbitro em relação à bola. Não me parece que seja o mais adequado, porque, quando está entre a bola e a baliza, é mais um defensor do adversário".