Benfica continua a arrumar a casa e 15 jogadores já saíram, mas há mais

Benfica continua a arrumar a casa e 15 jogadores já saíram, mas há mais
Marco Gonçalves

Tópicos

Adeus de jogadores às águias é superior ao que sucede para já nos rivais: o Sporting cortou com dez atletas, enquanto o FC Porto fê-lo com seis. Excedentários já renderam 35,5 milhões de euros.

Depois de uma temporada de avultados investimentos, e que superou os 100 milhões de euros despendidos no plantel principal, o Benfica definiu 2021/22 como uma época de cortes e de gastos mais baixos. Por isso, entre vendas, rescisões e até contratos a terminar, são já 15 os atletas que deixaram em definitivo a Luz até ao momento.

À beira de encerrar o primeiro mês de mercado aberto para transferências, e ainda com muito para resolver - Samaris e Gabriel estão mais perto da saída e já nem estão com o plantel, mas há outros riscados - , os encarnados vão para já, e depois da saída de Alfa Semedo para o V. Guimarães, em 35,5 milhões de euros encaixados com a transferência de excedentários.

Pedrinho, que saiu por 18 milhões para o Shakhtar Donestk, permitindo recuperar o investimento feito, foi a venda mais elevada, sendo que neste lote de atletas há ainda Jardel, que deixou o Benfica após chegar ao fim do contrato.

A mais recente saída, Alfa Semedo, rendeu 1,5 milhões de euros, mas as águias mantêm 50 por cento do passe, situação frequente aliás nos casos dos futebolistas que abandonam em definitivo o clube da Luz para assinar por outros emblemas do território nacional, e cujos valores dos negócios são desconhecidos muitas vezes.

Alfa Semedo é o oitavo jogador em 2021/22 a terminar a ligação com o Benfica mas a continuar no nosso país, sendo o sexto a ingressar em clubes da Liga Bwin: há ainda David Tavares (Famalicão), Diogo Mendes (Marítimo), Daniel dos Anjos (Tondela), Henrique Jocú (Portimonense) e Frimpong (Moreirense).

A SAD encarnada procura reduzir os atletas nos seus quadros, isto depois de ter fechado 2020 com 93 jogadores, segundo divulgou no seu relatório e contas relativo ao primeiro semestre de 2020/21.

As 15 saídas são para já superiores ao que sucede nos rivais Sporting e FC Porto, que viram até ao momento dez e seis atletas, respetivamente, deixarem os seus quadros de forma oficial - ainda que, tal como nas águias, o número deva aumentar até ao final do mercado de transferências em curso.