E-Toupeira: comentador de arbitragem viu os dados pessoais pesquisados

E-Toupeira: comentador de arbitragem viu os dados pessoais pesquisados
Vítor Rodrigues

Tópicos

Belarmino Aleixo, ouvido por videoconferência, afirmou que desconhece porque razão foi pesquisada a sua vida privada nem a mando de quem teria sido feita

Belarmino Aleixo, auxiliar de ação educativo de profissão atual, antigo árbitro de futebol, foi ouvido esta quarta-feira pela juíza Ana Paula Conceição no âmbito do processo e-Toupeira, confirmando conhecer os arguidos Paulo Gonçalves "dos tempos do Boavista" e Júlio Loureiro "por ter sido observador de árbitros".

Segundo o processo, utilizando as credenciais de uma funcionária do tribunal de Fafe, o arguido José Augusto Silva obteve informações da base de dados da Segurança Social relativas a pessoas com ligações à arbitragem, tendo os procuradores escrito na acusação que o pedido de obtenção desses dados foi feito por Paulo Gonçalves, então assessor jurídico da SAD do Benfica.

Nessa lista constava o nome de Belarmino Aleixo, ouvido por videoconferência, oportunidade para afirmar que desconhece porque razão foi pesquisada a sua vida privada nem a mando de quem teria sido feita. Porém, deixou no ar que poderia resultar do facto de ter sido "administrador do blogue "Polvo inteligente" que discutia temas relacionados com a arbitragem".

Assumindo-se como portista e conhecendo perante a juíza que poderia ter sido tendencioso nas suas análises, Belarmino Aleixo garantiu que deixou de escrever "pouco depois" de conhecido o processo, confirmando também que foi "arguido do caso Apito Dourado", no qual foi condenado com uma pena suspensa e, após recurso, "uma multa".