Maior acionista individual da SAD defende que Benfica deve apostar na formação

Maior acionista individual da SAD defende que Benfica deve apostar na formação

"Sem formação, os clubes não têm hipótese de sobrevivência", realça José António dos Santos, presidente do Grupo Valouro

Maior acionista individual da SAD do Benfica, com uma participação que, direta e indiretamente, atinge os 14,25 por cento, José António dos Santos, presidente do Grupo Valouro - com esta empresa, e entre os seus familiares, a participação atinge os 16,35% -, defende a aposta na formação, sendo que Jorge Jesus tem sido por vezes visado por não dar muito espaço a jovens da "cantera".

Seja no Benfica ou em qualquer clube nacional, o empresário vê esta como uma solução imprescindível. "Digo sempre que nunca se deve deixar a formação. É o futuro de qualquer clube em Portugal, se não tiver formação não há clube. Seja o Sporting, o FC Porto, o Benfica, o Braga, seja qual for o clube. Sem formação, os clubes não têm hipótese de sobrevivência", afirmou, em entrevista à Jornal Económico TV.

"Os clubes têm de ter uma receita extra. Todos os anos têm de vender alguns miúdos para se manterem. Temos pouca indústria capaz de suportar os clubes de futebol. Esse é um dos grandes problemas de Portugal", defendeu, vendo Portugal com "uma escola de jogadores" e apontando o "apetite dos miúdos para serem craques como o Cristiano Ronaldo". José António dos Santos defende mesmo que "o próprio país, pela própria Secretaria de Estado do Desporto, deveria apoiar muito este caso", até a "clubes de província".