"Taça de Portugal? Se as coisas continuarem como estão, não entendo que não haja público"

"Taça de Portugal? Se as coisas continuarem como estão, não entendo que não haja público"

Varandas Fernandes, vice-presidente do Benfica, esteve esta sexta-feira na BTV, voltando a falar dos efeitos do surto de covid-19 no desempenho da equipa e abordando a ausência de público nos estádios de futebol

"Todos conhecemos os efeitos que a pandemia teve na equipa do Benfica, que foram gravosos e prejudicaram a equipa e o plante , não havendo estabilidadde. Mas, estou optimista, temos evoluído muito nos últimos tempos. Em março recebemos os prémios de melhor treinador, guarda-redes e avançado, é um sinal de optimismo e de esperança. Temos ao alcance o segundo lugar na Liga NOS, só depende de nós. Já o primeiro, depende do nosso adversário. Mas sabemos sofrer, ter resiliência muito grande e vamos lutar até ao último minuto. Este nosso acreditar tem-nos levado a grandes vitórias", disse esta noite, no BTV, Varandas Fernandes, vice-presidente do Benfica.


"Tenho uma ténue esperança e que podemos fazer um final fortemente positivo neste campeonato. Podemos conquistar o segundo lugar, ganhar a Taça de Portugal e a equipa tem dado sinais positivos de que consegue produzir em campo o trabalho feito durante a semana. Estou esperançoso que o que vem aí será muito positivo e motivo de grande alegria", acrescentou


Regresso dos adeptos?
"Como médico, tenho de ser prudente e não gostava nada que voltássemos para trás mas esse é um risco que temos. Temos de ter algum bom senso. Mas, não compreendo bem como se abrem espaços com pouca ventilação como os centros comerciais, com pouca fiscalização e acumulação de pessoas, e não se abre um estádio de futebol que é arejado", afirmou o dirigente encarnado, questionado no canal do clube sobre o regresso dos adeptos aos estádios ter sido, uma vez mais, descartado por António Costa, primeiro-ministro.

"Apelo a que na final da Taça de Portugal haja algum bom senso. Se as coisas continuarem como estão agora, não entendo que não haja público, dentro das regras sanitárias. É o momento das autoridades sanitárias, científicas e políticas de pensarem bem. O futebol precisa de público e há condições para o haver, de forma coordenada e com distanciamento. É altura dos campos de futebol terem público", acrescentou.

"O nosso estádio tem todas as condições para ter público, embora admita que outros possam não ter. Futebol sem público é como comida sem tempero e falta-nos a interação. O Benfica tem sentido muito isso e é essa uma das razões para que a equipa não se motive mais cedo ou não jogue com mais garra", concluiu Varanda Fernandes