"Criticam as compras, as vendas, os equipamentos, as contas, a Benfica TV..."

"Criticam as compras, as vendas, os equipamentos, as contas, a Benfica TV..."
Redação

Tópicos

Luís Filipe Vieira admite que cometeu erros e que as "críticas sérias" e as "boas ideias" devem ser ouvidas, mas enaltece que os candidatos adversários não podem passar todo o tempo de campanha a "criticar tudo e todos".

Luís Filipe Vieira fez nesta quarta-feira a apresentação oficial da candidatura à presidência do Benfica e destacou o que considera terem sido os pontos mais positivos dos últimos anos à frente do Benfica, além de abordar as críticas que tem recebido por parte dos adversários nestas eleições.

"Esta candidatura tem passado, história e futuro e é por isso que aqui estou. Vamos continuar a crescer e o próximo mandato é a base para superar a última década. Foi a segunda melhor década do futebol, a melhor das modalidades e a melhor no capítulo financeiro. Reforçámos o prestígio internacional e afirmamo-nos como um grande clube mundial. Foram sete anos positivos financeiramente", começou por dizer, antes de falar da concorrência que tem para o lugar de presidente dos encarnados.

"Deve ser saudado o número de candidatos, porque isso reforça o futuro. Gostava que a campanha fosse construtiva, com ideias, espero que os candidatos o sigam. As críticas sérias devem ser ouvidas, como presidente também erro e errei porque quem decide não acerta sempre. Estou disponível para ouvir e acolher boas ideias, venham elas de onde vierem. As boas propostas têm sempre porta aberta. Há muitas que já foram implementadas e outras propostas que não são boas", atirou.

"Não podemos passar 30 dias [tempo que falta para as eleições] a criticar tudo e todos e a menorizar todos. Criticam as compras, as vendas, os equipamentos, a falta de transparência das contas, a democracia do clube, o voto eletrónico, a Benfica TV... Criticam, criticam, criticam...", acrescentou.