Chidozie não esquece um passado duro: "Às vezes, ficávamos um dia sem comer"

Chidozie não esquece um passado duro: "Às vezes, ficávamos um dia sem comer"
Mónica Santos

Tópicos

Era apenas um adolescente quando deixou a família, na Nigéria, decidido a "ganhar a vida" com uma bola nos pés e conseguiu. Não esquece os dias sem comer que lhe custou o futebol

Por estes dias em que se decide parte do futuro dele no que respeita à relação contratual com o Boavista, Chidozie partilhou no Instagram uma mensagem de gratidão por estar a superar um caminho duro. "Nunca foi fácil", contou, e recuou ao "começo difícil na Nigéria". Para muitos, a ideia de ver partir um filho adolescente para outro continente pode parecer um sacrifício impensável, no entanto, para o internacional nigeriano esse passo foi a primeira grande vitória de uma carreira ainda com muito por escrever.

Para o defesa que chegou aos juniores do FC Porto em 2015 havia um outro padrão de sacrifício a sacudir. "Foi preciso muito esforço para chegar aqui, por isso escrevi que o caminho foi duro, mas Deus ajudou-me e estou a viver o meu sonho, o Boavista é um grande clube e estou muito feliz por estar aqui e a jogar, que é o que quero fazer". Foi com o futebol que, ainda miúdo, decidiu salvar a família da pobreza, um cancro naquele como noutros países africanos. "Não tinha boas chuteiras para treinar nem bons campos", e "para poder ir jogar" sacrificava-se tudo. "Por vezes, voltávamos a casa e não havia comida", recorda, e não se refere ao lanche no fim do jogo: "Às vezes, ficávamos um dia sem comer".

"Queria tirar a minha família daquelas dificuldades e decidi que tinha de trabalhar no duro para ganhar a vida e, hoje, a minha família é muito feliz e eu também, por ajudá-los", sorriem os olhos grandes do mais novo de cinco irmãos: "Foi uma luta. Quando cheguei ao Porto, era miúdo, foi um sonho tornado realidade. No dia seguinte, quando acordei e estava no Porto, fiquei feliz, porque a minha vida começara a mudar e com ela a da minha família". Depois dos juniores, do FC Porto B, de passagens curtas pela equipa principal e quatro empréstimos, Chidozie continua determinado: "Tenho um sonho, jogar em grandes clubes. Estou a fazer esse caminho, não quero deixar fugir esse sonho, estou a lutar por ele".