Jesualdo Ferreira: "Sauer não teve covid-19, mas achamos bem que o plano sanitário seja cumprido"

Jesualdo Ferreira: "Sauer não teve covid-19, mas achamos bem que o plano sanitário seja cumprido"

Treinador do Boavista projetou, esta sexta-feira, o embate com o anfitrião Marítimo, referente à 12.ª jornada da I Liga, o terceiro desde que assumiu o comando da equipa axadrezada

Ajustes: "Não é fácil, em pouco tempo fazer uma coordenação correta e ajustada de todos os jogadores em função do que são os objetivos da equipa. Cada semana vai ter sempre um jogo que vai testar o que fizemos; esta foi a continuação das outras. Vamos continuar a queimar algumas etapas do desenvolvimento do nosso trabalho. A preocupação assenta em dois planos: um de natureza mental e emocional; outro de natureza tática. O primeiro prende-se sempre com o rendimento em jogo e é ganhar, ganhar. No nosso caso nem é fazer pontos, é ganhar, que é necessário para a que a equipa estabeleça equilíbrios em termos mentais. O segundo de natureza tática. No planos defensivo exige trabalho, empenhamento, disponibilidade e tempo. Para que todos se mobilizem em termos defensivos - não falar apenas em defesa - em conjunto e não é agradável porque ninguém gosta de treinar a andar a correr atrás da bola, uns com bola e outros com bola. Neste momento, estamos nesse ponto. O Boavista precisa de estabilidade defensiva, mas ser mais agressivo. O que já fizemos nas semanas anteriores. Se tiverem o cuidado de olhar para os golos marcados, o Boavista tem 12, colocariam a nossa equipa a meio da tabela, mas com 20 golos sofridos estará, de facto, no fundo."

Jogo com Marítimo: "Ganhou dois jogos e está em cima, ao meio da tabela, tem outro treinador, está lá o Milton, que saúdo até pela forma como a equipa foi capaz de reagir. Teve um processo que foi progressivo de uma equipa que até dado momento não foi competente e a partir de outro momento passou a ser. Está altamente motivada. Tem jogadores que criam muitos problemas e que vão criar muitos problemas a nós. Nós também temos algumas armas e tirar vantagem disso. Vai ser um jogo corrido, dividido e não estou a ver o Boavista atrás, a defender, porque não é o caso com estes jogadores, nem no meu caso. Acredito que o facto de estarem mais confiantes do que nós dá-lhes alguma vantagem."

Ausência de Javi Garcia: "A semana toda, os dois centrais não treinaram quando se juntaram no último treino, sem terem grande intensidade, o Javi lesionou-se, ou seja perdemos o eixo central. O Javi pela sua experiência é um jogador capaz de estabelecer os equilíbrios fundamentais da equipa ou aproximar-se daquilo que são as necessidades. Teve peso sim."

Gustavo Sauer: "Ele não teve covid-19, mas achamos bem que o plano sanitário seja cumprido. Já treinou ontem, perdeu algum tempo, mais de dez dias. Agora está connosco e vamos ver como nos poderá ajudar. Esse aspeto tem acontecido com toda a gente. O Braga veio aqui sem três centrais e acabou por ganhar. E dirão: Nem a covid os matou [risos]...eu diria o mesmo, nem a covid foi capaz de liquidar o Braga."

Derrota com o Braga: "Não é normal entrar a perder e oferecer o golo ao adversário. Erros que acabaram de facto por nos desequilibrar mais. Têm de reconhecer que o Boavista, na segunda parte, esteve na luta direta com o Braga e foi capaz, em determinado momento, estar por cima. O Braga é uma equipa que está lá em cima, tem qualidade no seu coletivo e de jogadores. Foi um adversário, para o momento do Boavista, forte, mas foi um adversário bom para ver quais eram os nossos níveis."