Braga contesta posicionamento do Sporting nos casos de covid-19

Braga contesta posicionamento do Sporting nos casos de covid-19
Redação

Tópicos

A SAD do Braga reagiu, esta terça-feira, à intenção do Sporting em ter "um tratamento de exceção" e recorda os casos que afetaram o plantel de Carvalhal.

O Braga emitiu um comunicado a contestar o posicionamento do Sporting em relação aos "falsos positivos" detetados no plantel de Rúben Amorim e lembra que a equipa de Carlos Carvalhal também sofreu baixas importantes, por causa de positivos que afastaram quatro jogadores do jogo com o Boavista e Sporting.

"O Braga mostra-se profundamente indignado pela intenção do Sporting em ter um tratamento de exceção neste contexto pandémico", escreve o clube minhoto.

Leia na íntegra o comunicado

"Como é do conhecimento público, o SC Braga viu-se privado de vários jogadores devido a testes positivos à Covid-19. Mais: diante do Boavista e do Sporting (ambos fora de casa), a nossa defesa foi totalmente dizimada pelo vírus, com Bruno Viana, Tormena e David Carmo a ficarem arredados das opções, aos quais se juntou ainda o André Castro.

Como Clube cumpridor das regras, o SC Braga aceitou o impacto da pandemia, colocou imediatamente os jogadores em isolamento durante os 10 dias exigidos pelo protocolo da DGS para o futebol, não contestou resultados positivos e, após este período, só voltou a reintegrá-los em treino no momento em que testaram negativo à covid-19, alguns dos casos bem depois dos 10 dias exigidos por lei.

As regras são explicitas e, julgávamos nós, tinham sido elaboradas com a obrigatoriedade de TODOS os clubes as cumprirem. Qual não é a nossa surpresa quando ontem, ao final da tarde, somos confrontados com dois "falsos positivos" por parte do Sporting, alegando um putativo erro do laboratório de análises (entretanto desmentido ao jornal O JOGO pelo diretor clínico da UNILABS, Maia Gonçalves).

O SC Braga mostra-se profundamente indignado pela intenção do Sporting em ter um tratamento de exceção neste contexto pandémico, não só face ao protocolo vigente a nível da Liga profissional de futebol, como no que diz respeito à sociedade em geral. Iremos estar particularmente atentos à decisão soberana das autoridades locais de saúde, confiando que se mantenha o cumprimento escrupuloso das normas vigentes.

Saliente-se que o não cumprimento do protocolo (aceite por todos os clubes na altura da retoma) irá, certamente, provocar um cenário anárquico, caótico e disruptivo no futebol português, havendo, inclusivamente, o sério risco de todas as competições profissionais serem feridas de morte ao ponto de não se concluírem.

O SC Braga continuará a cumprir escrupulosamente as regras definidas pelo protocolo da DGS, mas exige que todos os restantes clubes o façam de forma igual e sem exceções, nem que para isso seja necessária a imediata intervenção da Liga, da FPF ou do Governo..."