Braga vence Besiktas e cai um recorde de Jorge Jesus no clube

Braga vence Besiktas e cai um recorde de Jorge Jesus no clube

Equipa minhota leva oito jogos europeus sem derrotas.

O Braga somou o 11.º jogo consecutivo sem perder na Liga Europa e oitavo em 2019/20, batendo o recorde europeu dos arsenalistas numa época, os sete de Jorge Jesus em 2008/09. Há 11 anos, o atual treinador dos brasileiros do Flamengo conduziu os bracarenses a sete triunfos de rajada na Europa, dois na Taça Intertoto e cinco na Taça UEFA, com a cereja de não ter sofrido um único golo na série.

Na presente temporada, o onze de Ricardo Sá Pinto já fez melhor, pois soma sete triunfos e uma igualdade, cedida na receção ao Slovan Bratislava (2-2), na segunda jornada, num embate em que esteve a vencer por 1-0 e 2-1.

De resto, os arsenalsitas só colecionaram vitórias, quatro das quais nas pré-eliminatórias, duas com o Brondby, na terceira (4-2 fora e 3-1 em casa), e outras tantas com o Spartak Moscovo (1-0 em casa e 2-1 fora), no play-off.

A série de triunfos prosseguiu com um triunfo por 1-0 no reduto do Wolverhampton, com um tento de Ricardo Horta, que já havia marcado os três face aos russos. Após o 2-2 com os eslovacos, o Braga retomou o ciclo de triunfos europeus, com duas vitórias sobre o Besiktas, por 2-1 em Istambul, e por 3-1 na pedreira, com um bis de Paulinho e um tento do suplente Wilson Eduardo.

O Braga superou, assim, a sua melhor marca de invencibilidade numa época, sendo que são já 11 os seus jogos seguidos sem perder na Liga Europa, numa série iniciada ainda em 2017/18.

Depois do desaire por 3-0 em Marselha, na primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa de 2017/18, a formação minhota venceu o jogo da segunda mão, por 1-0, e, na época passada, na terceira pré-eliminatória, empatou os dois jogos com o Zorya (1-1 fora e 2-2 em casa). Ricardo Horta marcou nos três encontros.

Em 2008/09, o registo vitorioso iniciou-se com dois triunfos face aos turcos do Sivasspor (2-0 fora e 3-0 em casa), na Taça Intertoto, que o Braga conquistou, ao ser, entre as 11 equipas que venceram as finais, a que chegou mais longe na Taça UEFA.

Depois, a formação de Jorge Jesus superou os macedónios do NK Zrinjski (1-0 em casa e 2-0 fora), na segunda pré-eliminatória, e os eslovacos do Artmedia (4-0 em casa e 2-0 fora), na primeira eliminatória.

Na fase de grupos, o Sporting de Braga começou com um triunfo por 3-0 na receção aos ingleses do Portsmouth, sendo apenas travado pelo brasileiro Ronaldinho Gaúcho, que, aos 90 minutos, em San Siro, permitiu ao AC Milan vencer por 1-0.