"Jackpot" em agenda no Famalicão: maiores vendas da história e mais milhões à vista

"Jackpot" em agenda no Famalicão: maiores vendas da história e mais milhões à vista

Efeito Ivo Vieira fez ressurgir vários jogadores no Famalicão que estão a agitar o mercado. Próximo defeso promete trazer encaixe histórico.

Duas vitórias (4-0 no Marítimo e 2-0 ao Paços de Ferreira) e um empate (2-2 perante o Braga) nos primeiros três jogos de Ivo Vieira no Famalicão, aliado ao futebol praticado a fazer lembrar a temporada passada, na qual o clube ficou às portas da Liga Europa, trouxeram de novo para a agenda um leque de jogadores.

Se Rúben Vinagre e Ugarte [LER MAIS], estão no radar do Benfica, embora Vinagre esteja emprestado pelo Wolverhampton e a negociação não esteja diretamente ligada com os minhotos, há outros nomes que vão, muito provavelmente, superar os 9,7 M€ faturados na temporada passada com as vendas de Pedro Gonçalves (6,5 M€) e Toni Martínez (3,2 M€) para Sporting e FC Porto, respetivamente.

Só Gustavo Assunção tem um valor de mercado, segundo o Transfermarkt, cifrado em 8 M€, e ao Minho chegaram propostas - o Nice foi um deles - dentro deste valor na época anterior. O Famalicão rejeitou e em outubro acrescentou um ano ao contrato do jogador, blindado agora por uma cláusula de rescisão de 50 M€, cifra que também protege Luiz Júnior e Ugarte. Além destes, Anderson é outro dos fortes candidatos a sair no verão, sendo que em 2019/20 teve abordagens de emblemas russos e franceses, enquanto Riccieli, que recuperou um lugar no onze com Ivo Vieira e se tem exibido a um bom nível, também encaixa no naipe de possíveis encaixes futuros.

Aliás, se o projeto do Famalicão tem vários jogadores emprestados - e já lá vamos - não é menos verdade que o último onze, com o Paços de Ferreira, tinha sete jogadores pertencentes ao clube: Luiz Júnior, Diogo Figueiras, Riccieli, Patrick William, Ugarte, Iván Jaime e Anderson. Nomes como Iván Jaime, Dani Morer ou Diogo Queirós implicaram um investimento da SAD e são apostas de futuro. Mais, Babic, Valenzuela, Heriberto e Kraev estão emprestados, mas o "Fama" tem opção de compra de todos eles. O mesmo sucede com Edwin Herrera, Joaquín Pereyra ou Jhonata Robert, mas não é tão provável que possam ficar em definitivo. Se é praticamente certo que o próximo defeso trará um considerável encaixe financeiro ao Famalicão, ao Minho também poderá chegar um valor histórico decorrente dos 50 por cento que a SAD tem - e não pretende abdicar - de Pedro Gonçalves.