Gil Vicente critica dualidade de critérios e abertura de precedente

Gil Vicente critica dualidade de critérios e abertura de precedente
Bruno Fernandes/Olga Costa/Rafael Toucedo

Tópicos

Delegado local não permitiu que a formação minhota treinasse na quinta-feira devido ao aumento do número de casos. Galos falam em dualidade de critérios em relação aos leões

Mesmo sem confirmar a existência de 19 casos (a última informação fornecida a O JOGO, que contactou o clube até fecho da edição impressa desta sexta-feira, apontava para 15 infetados), fonte do clube minhoto garantiu que houve dualidade de critérios por parte da Direção-Geral de Saúde, uma vez que, explica-se, ao contrário do que aconteceu com o Sporting, os galos viram-se proibidos de treinar - assim aconteceu na quinta-feira - pelo delegado local.

No que diz respeito ao Sporting, recorde-se, tinha rumado ao Algarve com as devidas autorizações e precisamente para quebrar cadeias de transmissão, tendo realizado novos testes na quinta-feira.

Os minhotos consideram ainda que as autoridades estão a abrir um precedente, considerando não existir equidade na contagem dos positivos para um adiamento - os leões, lembre-se, têm 10 ativos.

Recorde-se que Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, tinha assumido na quarta-feira que estas decisões, apesar de se focarem nas autoridades de saúde locais, podiam ser, contudo, complexas, obrigando a reuniões com as autoridades regionais e também nacionais, como a que preside.

"Se for difícil, a autoridade pode reunir-se com a regional e a regional com a nacional, para tomarmos a decisão em conjunto", disse em conferência.