Moreirense queixou-se na FIFA e ainda não foi ressarcido da venda de Fábio Abreu

Moreirense queixou-se na FIFA e ainda não foi ressarcido da venda de Fábio Abreu
Redação com Lusa

Tópicos

Em causa está o pagamento das duas primeiras tranches, que venceram em outubro do ano passado e em janeiro, respetivamente, levando o Moreirense a apresentar outras tantas queixas junto da FIFA, que acabou por dar razão do ex-clube de Fábio Abreu.

O Moreirense apresentou duas queixas na FIFA contra os sauditas do Al-Batin e continua sem ser ressarcido pela transferência do futebolista angolano Fábio Abreu, confirmou à agência Lusa fonte do clube da I Liga.

O avançado abandonou os vimaranenses em outubro de 2020, a troco de quase 2,5 milhões de euros, mas o emblema de Hafar Al-Batin, que foi orientado pelo português José Garrido até março, ainda não liquidou qualquer verba acordada nas negociações.

Em causa está o pagamento das duas primeiras tranches, que venceram em outubro do ano passado e em janeiro, respetivamente, levando o Moreirense a apresentar outras tantas queixas junto da FIFA, que acabou por dar razão do ex-clube de Fábio Abreu.

O dianteiro internacional angolano sobressaiu com 17 golos em 39 encontros pelos minhotos, dispersos entre 2019/20 e as primeiras três rondas da última edição do campeonato, após ter acumulado passagens por Penafiel, Marítimo e Ribeira Brava.

Esse desempenho despertou o interesse de vários clubes em Fábio Abreu, de 28 anos, que assinou pelo Al-Batin e se impôs no último lugar do pódio de "artilheiros" da Liga saudita em 2020/21, com 17 tentos em 28 partidas, menos sete em relação ao internacional francês Bafétimbi Gomis, campeão pelo Al Hilal, treinado por José Morais.

O avançado agregou mais um golo na King's Cup e assumiu um papel preponderante no 13.º lugar do clube orientado pelo sérvio Aleksandar Veselinovic, com os mesmos 36 pontos de Al Raed, Damac, Al-Faisaly e Abha Club, um acima da zona de despromoção.