"Apetecia-me dizer que são dois pontos perdidos, mas..."

"Apetecia-me dizer que são dois pontos perdidos, mas..."

Costinha comentou o empate do Nacional com o Vitória de Guimarães, por 2-2.

Manutenção: "Acredito. Continuo a dizer que está complicado, mas temos de acreditar. Estão seis pontos em disputa. Quanto mais, temos de dignificar a instituição, porque até ao dia de hoje ainda não falhou em nada com os seus funcionários. Sabíamos que hoje ia ser difícil [alcançar pontos], perante uma belíssima equipa, bem orientada, com bons princípios de jogo. Foi um bom jogo".

Jogo: "Com 10 jogadores, o Vitória recuou o seu bloco e teve mais dificuldades em sair para o ataque. Mesmo assim, chegou ao 2-0. A minha equipa nunca desistiu, apesar de ter encontrado uma equipa bem organizada defensivamente. Com justiça, acabámos por chegar ao empate".

Ataque: "[Não conseguimos atacar mais] porque eles defenderam bem. Muitas vezes, quando se está em inferioridade numérica e em vantagem, é mais fácil sair para a transição ofensiva. Na segunda parte, não criaram assim tanto perigo. Fizeram o segundo golo, porque cometemos erros. Até ao final do jogo, a minha equipa quis ir à procura do jogo. Temos de nos agarrar a este ponto e de dar o melhor de nós próprios para sonhar com a manutenção na I Liga".

Pontos: "Apetecia-me dizer que são dois pontos perdidos, mas o Vitória teve ocasiões com 11 jogadores e, mesmo com 10 jogadores, conseguiu criar perigo. Quem está no fundo da tabela sente, muitas vezes, ansiedade e precipita-se. Foi um ponto ganho, porque o Vitória defendeu bem, mas a minha equipa foi forte no processo ofensivo".