"Jogadores não podem entrar em campo ansiosos, nervosos e com «tremideira»"

"Jogadores não podem entrar em campo ansiosos, nervosos e com «tremideira»"

Treinador do Paços de Ferreira, Pepa, fez a antevisão do embate frente ao Aves (sexta-feira, 20h30).

Pepa disse hoje que o Paços de Ferreira vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para alcançar a primeira vitória na I Liga frente ao Aves, na abertura da sexta jornada.

Em conferência de imprensa, o técnico pacense reconheceu que "todos os jogos são fundamentais e importantes", mas centrou o seu discurso na responsabilidade.

"Mais do que pressão, é responsabilidade. Olhamos para as coisas e temos noção de que só temos um ponto, ainda não ganhámos no campeonato. Queremos todos, todos mesmo, aquela primeira vitória no campeonato. Quando conseguirmos copiar aquilo que treinamos para o jogo, e não tenho dúvidas nenhumas de que o vamos conseguir, vamos ser uma equipa muito mais competente em campo", disse Pepa.

Para isso, o técnico do Paços disse que os seus jogadores "não podem entrar em campo ansiosos, nervosos e com «tremideira»".

"Sabemos que precisamos muito desta vitória, mas não pode ser uma vitória a qualquer custo: temos de ter organização, rigor, uma reação muito forte à perda, sendo objetivos na procura da baliza adversária e, acima de tudo, ter a tranquilidade para podermos decidir bem", sublinhou.

Pepa disse já ter identificado o que de menos bom e de positivo a equipa fez em Famalicão, na última jornada (derrota por 4-2), no seu jogo de estreia como treinador do Paços, defendendo que o mais importante é "conseguir prolongar no tempo" os momentos bons.

"Agarrarmo-nos, acima de tudo, a esta oportunidade de voltarmos a jogar rápidos, agradecer o apoio que tivemos em Famalicão, que foi tremendo, e fazer na nossa casa aquilo que queremos, que é sermos uma equipa muito agressiva, intensa e, volto a repetir, prolongar o último período, com mais volume ofensivo, mais procura da baliza adversária", afirmou.

O técnico reconheceu, no entanto, que faltou e falta ainda ao Paços "verticalidade no jogo, mas vertigem e movimentos de rotura", mas lembrou que "tudo isso é trabalhado e é pedido", revelando confiança na resposta dos seus jogadores e esperando que "essa procura mais permanente e mais sagaz da baliza adversária esteja presente" no jogo frente ao Aves.

Sobre o adversário, Pepa falou de um Desportivo das Aves que também vem de resultados negativos, independentemente de já ter conseguido uma vitória em casa, reconhecendo que "tem uma equipa muito nova e com muitas alterações, o que requer tempo e muito trabalho, independentemente da experiência do seu treinador", mas preferiu focar-se naquilo que o Paços pode e sabe fazer.

"É chegar o jogo e saborearmos, fazendo tudo o que estiver ao nosso alcance para acabarmos o jogo amanhã [sexta-feira] e saborearmos a primeira de muitas vitórias no nosso estádio", concluiu.

O Paços de Ferreira, 18.º e último classificado, com apenas um ponto, defronta o Aves, no penúltimo lugar, também em zona de descida, com três, na sexta-feira, no estádio Capital do Móvel, às 20h30, no jogo de abertura da sexta jornada da I Liga.