De regresso à competição, quer voltar a festejar na Luz: "Já fui muito feliz"

De regresso à competição, quer voltar a festejar na Luz: "Já fui muito feliz"
Hélio Nascimento

Tópicos

Fabrício sabe o que é marcar no campo do Benfica, onde, em 2017/18, produziu uma exibição de gala. Para domingo, vinca a ideia de que é possível alcançar um resultado positivo

Fabrício lesionou-se logo na primeira jornada e só voltou a jogar no passado domingo, certamente na altura ideal para ajudar o Portimonense, que tem a próxima partida marcada para o Estádio da Luz. O avançado brasileiro, que entrou a todo o gás com o Vizela - apesar do nulo -, não esconde um largo sorriso quando confrontado por O JOGO a propósito do adversário que se segue. As memórias são boas.

"O Benfica é especial por vários fatores. Parece que entramos ainda mais motivados em campo, e, no meu caso, já fui muito feliz na Luz", vinca Fabrício, reportando-se à época de 2017/18 e ao palco onde realizou uma das melhores exibições da sua carreira.

Marcou um golo, inaugurando o marcador, deu "água pela barba" a Luisão e ainda bisou, só que o tento foi anulado, porque Manafá, o autor do centro, estava uns centímetros adiantado.

"Perdemos 2-1, mas nunca esquecerei esse jogo. Desta feita, acredito que pode voltar a haver espetáculo. A equipa já demonstrou capacidade e bom futebol e vai desfrutar do ambiente, sempre com o foco nos pontos", afirmou com a esperança alicerçada nessa época em que marcou um total de 16 golos.

E o que será preciso fazer para contrariar um conjunto que lidera e vem de aplicar "chapa 3" ao Barcelona? "O Benfica está a ser devidamente avaliado. O míster ainda não transmitiu a orientação final, mas é lógico que temos de trabalhar muito, com humildade, cumprindo a estratégia com total disponibilidade. É claro que é possível um resultado positivo, senão não entrávamos em campo", garante o avançado.

O atual 6.º lugar dos algarvios transmite algum conforto, embora a ideia seja a de "melhorar mais", o que, no entender de Fabrício, "se torna mais fácil quando há motivação e os resultados são positivos". No seu caso pessoal, depois do "aborrecimento" de uma paragem de mês e meio, o mais importante "é recuperar o ritmo o mais rápido possível para ajudar às próximas conquistas".

Pronto a "cumprir com excelência"

Fabrício lesionou-se, Beto saiu e têm sido Aponza e Renato Júnior os avançados de serviço. Mas o experiente brasileiro, de 31 anos, está de volta e até pode jogar descaído num flanco. "Não tenho preferência. O que importa é estar disponível e poder cumprir com excelência o que me é pedido, com coragem e trabalho", sustenta, lembrando a forte concorrência num plantel com "vários jogadores para cada posição".