A saída de Lucas Evangelista e as chicotadas psicológicas: "Não é benéfico"

A saída de Lucas Evangelista e as chicotadas psicológicas: "Não é benéfico"

Ivo Vieira, treinador do Vitória, em conferência de Imprensa de antevisão ao jogo com o Portimonense (sábado, 19h15).

V. Guimarães trabalha há mais de um ano: "O prolongar da época é uma realidade, mas cabe-me a mim fazer essa gestão e assumir essa responsabilidade, porque toma a todos os treinadores, e e fico muito orgulhoso, de representar o Vitória e estar este tempo todo a competir. É sinal que estivemos em provas importantíssimas, que o clube teve bastante visibilidade e projetámos a valorizamos bastantes atletas. Isso é gratificante para o treinador, embora psicologicamente possa haver algum desgaste por causa do prolongar da época, mesmo pelo interregno, porque não foram três meses benéficos em termos de saúde mental. Mas estamos todos no mesmo pé de igualdade, porque a época prolongou-se para todos, para uns mais do que para outros, mas também por mérito desses que estão há mais tempo, sinal de que estiveram nas competições europeias".

Saída e rendimento de Lucas Evangelista:
"São questões contratuais. Foi noticiado e fui informado pelo clube. Não tenho nenhum comentário a fazer em relação a isso. Em termos de contrato, não tenho conhecimento como são feitos. Não é um tema que eu possa intervir. Estou satisfeito com todos os meus atletas. Agora, há situações maiores, como as questões financeiras e do clube, e isso já não está no meu âmbito em termos de decisão"

Chicotadas psicológicas: "Para o futebol português, devíamos evitar e não é benéfico"