Ivo Vieira assume: "A responsabilidade é minha, não dos jogadores"

Ivo Vieira assume: "A responsabilidade é minha, não dos jogadores"

Mesmo sabendo que o Vitória está "dependente de segundos e terceiros", o técnico continua "a acreditar" e promete "correr atrás"

Na antevisão da receção, esta terça-feira, ao Vitória de Setúbal, Ivo Vieira admitiu que o resultado em Braga provocou "uma tristeza enorme" no grupo que lidera, mas como não adianta entrar em lamentações a receita é correr atrás do prejuízo.

"As coisas estão a distanciar-se e vamos trabalhar para encurtar, sabendo que estamos dependentes de segundos e terceiros. Em Braga, contra um rival, queríamos muito ganhar, é um jogo sempre com um peso grande. Não tivemos essa felicidade e, por isso, abateu-se sobre o grupo uma tristeza enorme, mas que foi imediata e que já está ultrapassada. Ficou para trás e estamos focados no que aí vem. Houve tristeza e frustração, o normal quando não se ganha. Agora temos de correr atrás e continuar a acreditar", defendeu.

Após a retoma, o Vitória de Guimarães regista três empates e uma derrota, mas tem feito boas exibições, como por exemplo na Pedreira onde perdeu por 3-2. Cansado de vitórias morais? O técnico respondeu assim: "As vitórias morais são um chavão, um desabafo de quando não se ganha e se joga bem ganha-se algum conforto. Não estou à procura de conforto nem de vitórias morais. Isto é muito simples: a responsabilidade é minha, não é vossa, não é dos jogadores nem dos adeptos. Eu é que lidero, eu é que sou o responsável, não vou fugir às minhas responsabilidades e ao meu compromisso."

Aliás, Ivo Vieira assumiu mesmo: "Não estamos a ter o rendimento esperado e não posso fugir a essa responsabilidade. Existe desgaste devido ao prolongar da época e talvez pudéssemos ter feito a gestão de outra forma. O rendimento da equipa em dois destes jogos teve uma quebra na segunda parte, isso foi visível. Fizemos alguns ajustes em termos de cargas de trabalho para estarmos mais disponíveis. A fadiga mental apareceu nessa altura. Em termos físicos, no último jogo a equipa já esteve melhor. Gosto que tenha saúde. Neste jogo vamos dar nova resposta a este nível", garantiu.

O treinador da formação minhota analisou também o adversário da próxima jornada que, após o regresso do campeonato, também ainda não ganhou (dois empates e duas derrotas). "O Vitória de Setúbal é uma equipa que também já não ganha há algum tempo, mas o que vejo é que contra nós todos encaram sempre os jogos com grande vontade de ganhar. É um jogo sempre motivante, com grande visibilidade e os jogadores crescem emocionalmente. Temos tido abordagens para contrariar isso. Temos de assumir, o Vitória é clube com dimensão já bastante aceitável. Acho que vamos ter um Vitória de Setúbal a procurar discutir o resultado, a criar-nos problemas", perspetivou.