Ivo Vieira fala em "jogo de monopólio" com o Braga e atira: "Nunca me vou esconder"

Ivo Vieira fala em "jogo de monopólio" com o Braga e atira: "Nunca me vou esconder"

Ivo Vieira, treinador do Vitória, fez a antevisão do dérbi de quinta-feira com o Braga.

Importância do dérbi: "Para podermos sonhar com um lugar europeu é fundamental somar pontos. É com esse espírito que vamos disputar o jogo com o Braga. Trata-se de um desafio bastante aliciante, com um grau de dificuldade elevado, e sabemos quais são as responsabilidades que temos por se tratar de um dérbi e pela paixão dos nossos adeptos. Vimos de três empates e temo-nos distanciado para baixo em relação ao nosso objetivo, mas continuo a acreditar. Assumo essa responsabilidade. Só nos passa pela cabeça ganhar, vamos à luta e fazer tudo para que isso seja possível".

Braga camaleónico: "O Braga tem mudado. Mais recentemente, de um jogo para outro, alterou a sua organização, com um lateral-esquerdo a fazer de terceiro central... Passou a ter outras dinâmicas, com mais progressão. No passado, apresentada três centrais. Mas a nossa preparação para o jogo é sempre feita com a mesma concentração e o mesmo objetivo: tentar vencer. É claro que depois teremos de ajustar a nossa estratégia em função da organização defensiva do adversário. O Braga tem alternado muito, mas isso só nos faz crescer. Cabe-me ajustar a equipa no sentido de tentar desequilibrar a organização defensiva do adversário. É um jogo de monopólio. Quem conseguir abordá-lo melhor e souber tirar dividendos dele, acabará por tirar vantagem".

As falhas do Vitória: "Nunca me vou esconder de nada. O que tem acontecido? Contra o Belenenses, a equipa caiu muito na segunda parte em termos de produção. Já frente ao Moreirense fez-nos pensar que temos de melhorar em termos ofensivos, no último terço e na tomada de decisão. Temos que fazer mais golos. Temos tido alguma infelicidade na zona de finalização e é nisso que podemos fazer a diferença, acrescentando pontos. Não é um momento muito saudável quando é preciso somar pontos, mas essa é realidade. Estamos há três jogos sem ganhar, mas também não perdemos há seis. Os portugueses agarram-se muito ao que é negativo, mas essa invencibilidade também não me conforta. Preferia que os últimos três empates fossem três vitórias. A soma de pontos poderia ser nesta altura melhor face ao nosso desempenho nos jogos. Temos por isso que correr atrás de uma vitória porque não estamos satisfeitos. Assumo essa responsabilidade".

O substituto de Florent (castigado): "Podemos levar 20 jogadores para cada desafio e de certeza que vamos apresentar 11 em campo. Durante esta semana, fizemos testes e tentámos perceber quem seria a melhor opção e isso está mais do que identificado".

André André está em condições de ser titular? "Tem maturidade grande, uma experiência vasta em jogos da liga, mas não pudemos contar com ele devido a uma mialgia. No último jogo, já teve a oportunidade de jogar, sem correr riscos, e está na iminência de entrar na equipa, tal como outros. Está apto para jogar".

V. Guimarães melhor do que o Braga nesta altura? "As duas equipas estão aquém das expectativas. Ambas têm capacidade e qualidade para mais, mas não acho que isso vá estar presente no jogo. Julgo até que as duas equipas vão fazer deste jogo uma viragem, com o objetivo de ganhar. Mais do que jogar bem, o mais importante neste jogo será mesmo ganhar".

Braga mais pressionado? "Um jogo destes é completamente diferente dos outros. Numa conversa com os atletas, disse-lhes que os níveis de concentração são diferentes nos dérbis por tudo o que os envolve. E acontece muitas vezes de sair a ganhar quem menos bem está no jogo. Acho que as duas equipas estão ao mesmo nível e pressionadas, com o Braga a ter a responsabilidade de ganhar porque joga em casa. Já o Vitória tem a responsabilidade de ganhar pelos seus adeptos e porque tem o objetivo de se aproximar dos lugares europeus".

A Europa torna-se impossível sem uma vitória? "É um jogo fundamental. Se não pontuarmos, ficaremos mais distanciados... ou não. Ficará tudo mais difícil. Não ganhando, ficaremos mais distante. Matematicamente esse objetivo continuará a ser possível, mas ficará mais difícil. Queremos alimentar essa esperança aproximando-nos do objetivo".

A ausência dos adeptos e o rendimento da equipa: "O Vitória leva muita gente ao estádio e isso é sempre gratificante para os jogadores. Agora há uma sensação de vazio, mas todos jogamos nas mesmas condições e por isso não nos podemos agarrar a isso para fugir às responsabilidades".