Álvaro Pacheco na hora da festa do Vizela: "Sempre vi o meu pai a lutar..."

Álvaro Pacheco na hora da festa do Vizela: "Sempre vi o meu pai a lutar..."

Declarações do treinador Álvaro Pacheco após o Vizela - Marítimo (1-1), jogo da 33.ª jornada da I Liga Bwin. A equipa minhota garantiu a permanência

O pai como ídolo: "Sempre vi o meu pai a lutar e a querer ser o melhor de todos. Era a minha referência e o meu ídolo. Não podemos olhar para o futebol sem ser pela conquista dos três pontos. Perguntei aos jogadores, no início da época, se estariam sempre preparados para lutarem pelos três pontos. Esta equipa marcou [o futebol português] por ser capaz de jogar um futebol positivo. Há um lema que é "Vizela é assim e luta até ao fim", e os jogadores são um espelho disso."

O projeto: "Desde que eu e a minha equipa técnica começámos o trajeto no Fafe, dissemos que, em cinco anos, queríamos chegar à I Liga. Já tinha estado na I Liga como adjunto [de Miguel Leal], mas como treinador principal é diferente. Tivemos de investir em soluções par os problemas que o Vizela foi tendo. No ano passado [na II Liga], houve muito menos problemas do que neste ano. Como treinador, tive uma evolução muito grande na I Liga. Para o ano, espero melhorar esta classificação."

Ficar no Vizela: "Tenho um orgulho muito grande em estar aqui. Passámos por momentos difíceis nesta época, mas não imaginam a confiança e a estabilidade que a família vizelense sempre me passou, desde a administração aos adeptos. Neste momento, é muito mais difícil [deixar o Vizela]. Tenho contrato e estou muito feliz no Vizela, mesmo que um dia tenha de partir, porque é assim o futebol".