Maestro de Faro sonha devolver o clube à Liga Bwin

Maestro de Faro sonha devolver o clube à Liga Bwin
João Fernando Vieira

Tópicos

Miguel Gonçalves é o capitão dos sub-23 e deu conta de uma temporada desafiante. Sobre o futuro, o médio, de 22 anos, assume que tem um objetivo em mente

Miguel Gonçalves vai firmando nome no futebol português e, aos 22 anos, já coleciona elogios. Chegou ao Farense com apenas 10 anos e, desde aí, fez juras de amor ao "clube do coração". "Este clube significa mesmo muito para mim. É o clube da minha terra e a minha família é toda do Farense. Desde pequeno que vou ao estádio e festejei muito. É um privilégio e um orgulho enorme estar cá há tanto tempo e ser capitão da equipa de sub-23, tal como fui nos escalões de formação", conta Miguel.

Os Leões de Faro terminaram a Liga Revelação no sétimo lugar da tabela e ficaram fora da Taça Revelação. O capitão dá conta de uma época recheada de desafios e entende que, apesar de tudo, a evolução do grupo foi notória. "Foi uma montanha russa de emoções. Uma competição nova para o clube, nova para este grupo e nova para mim. Começámos na expectativa e com receio do desconhecido, mas ao longo do campeonato fomos ganhando confiança e evoluímos. Na parte final viu-se que o grupo tinha bastante valor e qualidade, e que podíamos ganhar a qualquer equipa da Liga Revelação", sublinha o capitão dos algarvios, que acabou o campeonato com mais de 2000 minutos e duas assistências.

Manter o foco é a estratégia de Miguel Gonçalves, que não se acanha na hora de assumir o grande objetivo pessoal. "Num futuro próximo, ambiciono chegar à equipa principal e ajudar o clube a regressar à I Liga. Quero muito triunfar aqui", diz. Mas tem outros grandes sonhos. "No futuro, gostava de disputar a Liga dos Campeões e chegar à Seleção", rematou o médio.


De Totti a... Fabrício Isidoro

Paolo Maldini, Franco Baresi, Puyol, Ryan Giggs e Rogério Ceni, por exemplo. Entre os grandes génios do futebol, são poucos os que atuaram a carreira profissional inteira em apenas um emblema. Miguel Gonçalves só conhece a camisola do Farense e pretende escrever uma bonita história ao serviço do emblema algarvio, desejo decalcado do ídolo da Roma, Francesco Totti. "Adoro o Totti pela bonita história que ele teve na Roma. Nunca conheceu outro emblema e conseguiu ganhar títulos no clube do coração, portanto, revejo-me muito nele", explica o médio.

No clube, Miguel refere Fabrício Isidoro como uma referência e deixa o mote para a próxima temporada desportiva. "A minha referência no Farense é o Isidoro. Ele ocupa a mesma posição que eu e a capacidade de trabalho e entrega são fenomenais. Na minha ótica, há sempre espaço para melhorar e crescer enquanto jogador. A minha maior dificuldade, este ano, foi transportar o que fazia nos treinos para os jogos. Todavia, melhorei bastante e para o ano estarei muito melhor. Já estou a trabalhar nisso", garante o jovem.