"As equipas da Liga 3 jogam um futebol parecido com o que se pratica na Liga Bwin"

"As equipas da Liga 3 jogam um futebol parecido com o que se pratica na Liga Bwin"
Miguel Gouveia Pereira

O treinador brasileiro Argel estreou-se no Alverca com uma derrota caseira frente ao Amora (3-2). O jogo seguinte, para Taça de Portugal, correu melhor e acabou com uma goleada ao Anadia (4-1)

Enquanto jogador, Argel representou o FC Porto durante uma época e esteve quatro anos no Benfica. Agora, o antigo central regressa a Portugal para treinar o Alverca, clube que ocupa o décimo lugar da zona sul da Liga 3.

Uma oportunidade para o treinador brasileiro, de 47 anos, que surgiu por convite do amigo Artur Moraes, CEO da SAD dos ribatejanos, como contou em conversa com O JOGO.

Como surgiu o convite do Alverca?
-Já tinha existido no ano passado e quase houve acordo, mas acabou por não dar certo. Conheço bem o Artur Moraes, jogámos juntos no Cruzeiro e é um dos grandes amigos que eu tenho no futebol. Ele já conhecia o meu trabalho.

Era um objetivo ser treinador em Portugal?
-Fazia parte do meu projeto de vida profissional. Conheço bem o futebol em Portugal, tenho passaporte português e fiquei muito contente quando surgiu esta oportunidade de vir para o Alverca, até por ter jogado no Benfica e no FC Porto. Já tenho uma experiência de 13 anos como treinador profissional, mais de 150 jogos na Série A do Brasil e quatro títulos.

Como foi recebido pelos jogadores?
-A receção foi muito boa, penso que entenderam a forma de trabalhar desta equipa técnica. Há alguns jogadores brasileiros, o que facilita, mas o que eu aprendi no futebol português é que não importa a nacionalidade. O mais importante é o Alverca. Felizmente, os jogadores têm dado uma boa resposta nos treinos e estamos a melhorar a nossa capacidade física, bem como a parte técnica e tática.

Depois da derrota contra o Amora, conseguiu a primeira vitória na Taça de Portugal, frente ao Anadia. Qual a importância desse triunfo?
-Foi muito importante, porque dá confiança e muita força mental aos atletas. Fortalece também o nosso trabalho. Contra o Amora também já tínhamos feito uma boa segunda parte, até podíamos ter empatado [derrota 3-2]. Agora, para a Taça de Portugal, perante um adversário do mesmo escalão, mostrámos muita capacidade física e técnica. Acredito neste grupo de trabalho, por isso vim para cá de corpo e alma.

No início da época, o Alverca traçou o objetivo de subir à Liga SABSEG. É possível cumprir essa meta?
-Temos de pensar jogo a jogo, até porque eu só cheguei há 15 dias. Considero que o nosso plantel é muito equilibrado e com jogadores que conhecem bem esta competição. Não vamos prometer nada, apenas muito trabalho, organização e conteúdo.

Que análise faz da Liga 3?
-É uma competição muita competitiva e agressiva, no bom sentido. As equipas jogam um futebol parecido com o que se pratica na Liga Bwin. Há muita bola nas duas áreas e nem sempre é fácil jogar. Felizmente, também existe muita divulgação da prova.

Saiu de Portugal em 2005, na altura era jogador do Benfica. Regressou agora para treinar o Alverca. Como vê o futebol português atualmente?
-Penso que mudou para muito melhor. As equipas agora têm melhores condições de trabalho, lembro-me que quando joguei cá ainda não havia campos secundários para treinar. Agora, quase todos os clubes têm melhores condições de treino e estádios modernos. E a qualidade dos relvados também melhorou e o do Alverca é um exemplo.

"O Alverca lançou jogadores como Deco, Maniche e Ricardo Carvalho"

Argel recorda com saudade os tempos em que era jogador do Benfica e o do FC Porto e tinha no Alverca um opositor que vendia cara a derrota.

"É um clube muito grande e que esteve muitos anos no principal escalão. Sempre teve bons jogadores. É preciso lembrar que lançou Deco, Maniche e Ricardo Carvalho. Lembro-me também de ter jogado com o Yannick, que fez uma grande época no Alverca e depois foi jogar para o Benfica. Era sempre uma equipa que se batia bem em qualquer campo, fosse no Dragão, na Luz ou em Alvalade. Agora, o objetivo é ajudar o Alverca a dar os passos certos para um dia regressar à Liga Bwin", apontou o brasileiro, que, depois de uma derrota e de uma vitória nos dois primeiros jogos, na próxima jornada tem uma deslocação difícil ao terreno do Sporting B.