Precipitou o regresso a Portugal e quer o título da Liga 3: "Penso não só em subir"

Precipitou o regresso a Portugal e quer o título da Liga 3: "Penso não só em subir"
João Maia

Vilmar representou o Onisilos (Chipre) na primeira metade da época, mas a língua precipitou o regresso a Portugal. O objetivo é subir à Liga SABSEG, mas também ser campeão da Liga 3

Anunciado como reforço a 11 de janeiro, Vilmar já está a render juros. O brasileiro, 26 anos, estreou-se cinco dias depois, ao jogar nove minutos na vitória (1-0) com o U. Santarém e no fim de semana passado, em Massamá, perante o Real SC, entrou aos 60" e aos 89" deu o triunfo (2-1) que deixou o conjunto de Nuno Manta isolado, à condição, no segundo lugar da Série 2, com 29 pontos, mais três que V. Setúbal (menos um jogo) e mais seis que Alverca (duas partidas em atraso).

"Esse golo deu tranquilidade na classificação. Consegui ajudar a equipa frente a um adversário direto", explicou o dianteiro a O JOGO. O objetivo passa por ser campeão. "Penso não só em subir, como também em ser campeão. Encontrei um clube muito bom, com objetivos bem definidos", sublinhou.

Na temporada passada, apontou 14 remates certeiros em 29 partidas com a camisola do Montalegre, registo que o fez dar o salto para o Onisilos, da II Divisão do Chipre. Em meia época, amealhou oito golos em 11 jogos pelos cipriotas, no entanto, optou por regressar a Portugal.

"Tive dificuldades com a língua. Não sabia falar inglês e isso complicava a comunicação com o treinador. Felizmente, a equipa tinha alguns jogadores portugueses que ajudavam na tradução", refere. Além disso, a falta de visibilidade da prova também não ajudou. "Senti que o melhor era voltar. Deixei o Chipre como goleador da equipa", acrescenta.

Na outra face da moeda estava o clima semelhante ao brasileiro. "Frio não é comigo [risos]. Do clima eu gostei, porque é tropical e quente. O problema foi mesmo a língua, mas qualquer dúvida que tivesse tirava com os portugueses e eles traduziam", reforça.

Qualidade no plantel não engana

Vilmar expressou o desejo de subir à Liga SABSEG no Torreense e ser campeão. Em Torres Vedras, garante, encontrou uma equipa capaz de conseguir esse objetivo. "Se não tivéssemos qualidade, não estaríamos em segundo. O Torreense tem estado, desde o início da época, na luta pela subida e, se continuarmos unidos, podemos ser campeões", vaticinou o jogador, 26 anos, que chegou a Portugal em 2017/18 para representar o Fafe, vindo do Novoperário. No futebol luso jogou sempre no Campeonato de Portugal e passou, ainda, pelo Oleiros, antes de ser contratado pelo Montalegre, na época 2019/20.