"O Aves SAD acabou esta manhã para pasmo de toda a gente. É surreal"

"O Aves SAD acabou esta manhã para pasmo de toda a gente. É surreal"

Wei Zhao, presidente da SAD, terá comunicado ao plantel que a sociedade não tem condições para competir no Campeonato de Portugal

O Aves SAD acabou "esta manhã". A revelação é feita a O JOGO por Paulo Gentil, treinador que a administração tinha contratado para orientar a equipa no Campeonato de Portugal. Os avenses tinham faltado ao jogo de domingo passado com o Berço, por estarem impedidos de inscrever jogadores, e esta manhã o Perafita, clube onde o Aves estava a treinar, fez saber que o Aves foi despejado por não ter cumprido com o que estava contratualizado.

"Ficámos de assinar o protocolo na segunda-feira da semana passada. Chegou à hora e faltava uma parte, a Aves SAD, e mais importante que tudo, o dinheiro", esclareceu Pedro Vaz, presidente do Perafita. "Por uma questão de boa-vontade e por ser muito amigo do Paulo Gentil, dei mais uma semana para resolverem a situação, pois diziam-me que até sexta iam pagar. Na sexta nada aconteceu e dei até segunda-feira passada. Ninguém disse nada e soube que eles iam romper o acordo porque não tinham dinheiro. Informei o diretor-desportivo que hoje já não podiam treinar em Perafita e esta manhã esteve lá o sr. Wei Zhao a dar a cara e a falar com os jogadores. Uns saíam a rir, outros saíam cabisbaixos, pois tinha-lhes sido vendido um sonho que fez alguns abandonarem os trabalhos para serem semi-profissionais", acrescenta o dirigente.

Paulo Gentil corroborou esta versão. "Estávamos preparados para jogar a Taça, mas foi convocada uma reunião onde, para pasmo de todos, nos disseram que a SAD não tem condições para disputar o CdP por questões logísticas e económicas. Baixámos os braços e tivemos que vir embora. O Aves SAD acabou esta manhã para pasmo de toda a gente. É surreal", terminou.

Recorde-se que o clube inscreveu uma equipa na II Divisão da AF Porto. Já SAD viu aprovado um Processo Especial de Revitalização (PER) no qual foram reclamadas dívidas num montante superior a 17 milhões de euros. Com a insolvência iminente, os credores ficarão impossibilitados de receber o dinheiro. O JOGO tentou contactar Estrela Costa, acionista da Galaxy, empresa que gere a SAD, e responsável pelo futebol sénior do Aves, mas ainda não obteve resposta.