Sente-se "prejudicado" com a desistência do Aves SAD e ataca FPF

Sente-se "prejudicado" com a desistência do Aves SAD e ataca FPF

O Foz subiria ao Campeonato de Portugal caso a inscrição do Aves SAD na prova não tivesse sido aceite

Eduardo Avides Moreira, presidente do Foz, sente-se "triste e prejudicado" com o iminente fecho de portas do Aves SAD. O emblema da AF Porto subiria ao Campeonato de Portugal caso a inscrição dos avenses na competição não tivesse sido aceite. O Foz, afirma Eduardo Moreira, alertou "várias vezes" a FPF que o Aves "não reunia as condições para se inscrever". "O Aves SAD fechou portas? Não estou surpreendido. Desde finais de julho que acompanhamos esta situação. A FPF chumbou a inscrição da AD Oliveirense no CdP e subiu o Vilaverdense, que é da mesma associação (AF Braga). No ato da inscrição no CdP os clubes têm que entregar uma declaração em como a situação com atletas está completamente regularizada. Enviámos um ofício à FPF a dizer que o PER pedido pelo Aves não estava aprovado pelos credores nem homologado pelo juiz. Fomos surpreendidos quando soubemos que a inscrição tinha sido validada", afirma a O JOGO.

"Voltámos a questionar a FPF. Estamos a falar de uma situação [no Aves SAD] que é pública. Um clube com 17 milhões de passivo, sem sócios, sem nada, só com dívidas, não tem futuro. Se já para quem não tem dívidas é difícil arrancar, que fará para quem tem um passivo de 17 milhões", critica. Eduardo Avides Moreira pede, por isso, que a FPF "seja humilde". "Estou profundamente triste e surpreendido como é que a FPF teve o comportamento que teve. Prejudicaram objetivamente um clube. Deveriam ser humildes e dar um passo atrás", terminou, aludindo para uma possível integração do Foz no CdP, não obstante os portuenses já terem disputado a primeira jornada da Divisão de Elite da AF Porto.

O Aves SAD comunicou esta manhã, ao plantel que ia competir na Série B do Campeonato de Portugal, que a administração não tem "condições logísticas e financeiras" para disputar a prova. O plantel treinado por Paulo Gentil e composto por mais de 20 jogadores foi dispensado.