Uma bicicleta no Campeonato de Portugal que corre o mundo virtual

Uma bicicleta no Campeonato de Portugal que corre o mundo virtual

Avançado fez um hat trick frente ao Lourosa e um dos golos está a fazer sucesso nas redes sociais. A inspiração do brasileiro não foi sorte.

O nome Élder Santana provavelmente diz pouco ao leitor. Ou dizia, até ontem, pois o avançado brasileiro que representa a Sanjoanense, por empréstimo do Atlético Mineiro (Brasil), marcou um golo que está a correr as redes sociais. Vamos aos detalhes: corria o minuto 62 do dérbi aveirense entre Sanjoanense e Lourosa, então empatado a uma bola, quando Élder Santana recebeu, de costas para a baliza, uma bola alta de Belkheir, parou com o peito à entrada da grande área, deu um toque com o pé direito e, sem deixar o esférico cair, desferiu um pontapé de bicicleta que deixou o guarda-redes Leonardo sem reação. Consequência: os alvinegros, que tinham estado a perder por 1-0, consumavam aí a reviravolta numa partida da Série B do Campeonato de Portugal que acabariam por ganhar por 3-1, com um hat trick de... Élder Santana.

Quando arriscou o remate que viria a ser uma obra de arte, Élder não teve noção do que tinha acabado a fazer. A real dimensão do golaço veio depois ,com as redes sociais, onde o vídeo da bicicleta já tinha, ontem, mais de 50 mil visualizações. "Este é o golo mais bonito da minha carreira. É um lance que já vi e revi. Quantas vezes? Inúmeras... O meu Instagram não tem parado", contou o brasileiro a O JOGO.

Contudo, este não terá sido um mero golpe de sorte. "No meu último hat trick, que foi em 2017 pelo Atlético Mineiro B, também tinha feito um golo de bicicleta, só que este foi mais bonito", confessou Élder. Aliás, o atacante não via outra forma de resolver o lance. "Tinha muitos defesas atrás de mim. Tentei levantar a bola e pensei em rematar de bicicleta. Se sabia que ia entrar? É óbvio que não. Quando vi que tinha sido golo, deixei-me levar pela euforia", contou. "Só percebi o que tinha feito quando a adrenalina baixou", acrescentou. A visibilidade que a Internet dá é "importante" para que o futebol fique a conhecer o dianteiro, que deixou uma promessa: "Espero poder repetir outro movimento deste tipo".

Da escolinha do pai a colega de Ronaldinho

Élder Santana, de 26 anos, é natural do estado da Baía. Todavia, a porta da elite do futebol brasileiro foi aberta pelo Atlético Mineiro, de Minas-Gerais. "Comecei a jogar num projeto social que o meu pai tem e onde ele treina meninos dos três aos 20 anos. É o amor da vida dele", recorda. Em 2012 surgiu, então, a oportunidade de ingressar no Atlético Mineiro e para trás ficou a escola, difícil de compatibilizar com o futebol profissional. O atacante sonha poder tirar um curso de desporto porque quer estar ligado à área "até morrer". No seio da família, o futebol é rei. "Tenho dois irmãos que também jogam e todos são avançados. O mais novo chama-se Emerson Santana e está no São Bernardo, de São Paulo, e o mais velho, Edson Santana, joga num clube amador", conta Élder, filho de Edson, ou seja, membro de uma família fã da letra "E".

O canarinho foi sempre pouco utilizado no Atlético, andou de empréstimo em empréstimo, mas teve a oportunidade de partilhar o balneário com Ronaldinho, em 2013, e com Robinho, quatro anos mais tarde. "São pessoas maravilhosas, dois talentos puros que me impressionaram bastante. O Ronaldinho foi um dos protagonistas do maior título do Atlético, quando o clube ganhou a Taça Libertadores em 2013. Toda a gente via as coisas que ele fazia nos jogos, mas imaginem nos treinos...", atira. Élder gosta "muito" da vida que leva em São João da Madeira, o concelho mais pequeno do país e sonha "chegar alto". Por agora, já percorreu o país (e o mundo virtual) com uma bicicleta inesquecível.