O último recurso da Ucrânia: treinador de guarda-redes, de 45 anos, inscrito como jogador

O último recurso da Ucrânia: treinador de guarda-redes, de 45 anos, inscrito como jogador
Redação

Shovkovskiy foi inscrito pela federação ucraniana devido às baixas de Pyatov, Lunin e Pankiv, devido à covid-19.

Situação insólita na seleção da Ucrânia antes do jogo de preparação com França, marcado para esta quarta-feira: com três dos guarda-redes convocados - Pyatov, Lunin e Pankiv - infetados com covid-19, o selecionador Andriy Shevchenko tomou a decisão de pedir a inscrição de Oleksander Shovkovskiy como guardião suplente para a partida.

O nome poderá dizer alguma coisa ao leitor: trata-se do lendário guarda-redes ucraniano que defendeu as redes da seleção local em 92 ocasiões e que representou o Dínamo de Kiev durante toda a carreira, entre 1993 e 2017. O insólito da situação? Retirou-se das balizas há três anos e é agora treinador de guarda-redes da equipa nacional.

"A UEFA permite inscrever qualquer pessoa que tenha a nacionalidade do país que representa, mesmo que não esteja em qualquer clube", pode ler-se na nota emitida pela federação ucraniana (UAF), que refere ainda que Shovkovskiy só irá a jogo caso Bushchan tenha algum problema.

A seleção da Ucrânia foi atingida por surto de covid-19, que provocou seis baixas entre os eleitos de "Sheva", três dos quais guardiões. Depois do duelo desta quarta-feira com França, vão jogar com Alemanha (sábado) e Espanha (terça-feira), a contar para a Liga das Nações.