Caso da marquise no apartamento de Ronaldo leva irmãs a reagir: "Palhaçada de país e de um arquiteto"

Caso da marquise no apartamento de Ronaldo leva irmãs a reagir: "Palhaçada de país e de um arquiteto"

Familiares do craque da Seleção Nacional insurgiram-se, na rede social Instagram, pela controvérsia que a construção de uma estrutura metálica no terraço da habitação causou

Elma e Kátia Aveiro, irmãs de Cristiano Ronaldo, manifestaram publicamente desagrado pelo rol de críticas de que o futebolista português foi alvo por ter ordenado a construção de uma marquise no terraço de um apartamento luxuoso em Lisboa.

"Palhaçada de País e de um arquiteto. Acham que podem e querem mandar no que queremos fazer na nossa própria casa, que não incomoda nem faz diferença nenhuma. Preocupem-se com coisas mais importantes", escreveu Elma Aveiro, na rede social Instagram.

"Os valores andam distorcidos... e mais não digo. (...) "Será que nós, portugueses, te merecemos? Fica a questão no ar... Como portuguesa, [estou] orgulhosa deste ser humano [Cristiano Ronaldo]", juntou Kátia Aveiro, na mesmo plataforma digital.

As reações de desagrado das parentes do craque da Seleção Nacional surgiram poucos dias depois de José Mateus, arquiteto e autor do projeto de construção do apartamento, ter denunciado, com desagrado à mistura, a construção, à posteriori, de uma marquise

O gabinete de arquitetura responsável pelo edifício Castilho 203 (RMX), na cidade lisboeta, garantiu que a edificação da estrutura metálica não teve "a anuência dos arquitetos e dos vizinhos" e que não foi "aprovado pela Câmara Municipal de Lisboa".