Chefe de arbitragem da UEFA e o penálti sobre Sterling no Euro'2020: "Podemos falar sobre a intensidade"

Chefe de arbitragem da UEFA e o penálti sobre Sterling no Euro'2020: "Podemos falar sobre a intensidade"

Responsável italiano do organismo europeu verificou um "claro" contacto no joelho do extremo inglês por parte de um rival dinamarquês

Roberto Rosetti defendeu a decisão de Danny Makkelie em assinalar penálti sobre Sterling na meia-final entre Inglaterra e Dinamarca do Euro'2020 - quiçá a decisão mais controversa da prova - e que o VAR não teria de intervir no juízo do árbitro neerlandês.

"Não foi um escândalo. Nessa situação, houve um claro impacto de joelho. Makkelie viu o número 5 não acertar na bola, viu um contacto claro entre as pernas [de Sterling]. Podemos debater, mas foi isso que ele viu, ou podemos falar sobre a intensidade do contacto. Queremos os árbitros no meio [da decisão] e o VAR tem de ser muito cuidadoso", disse, esta quarta-feira, o chefe da arbitragem da UEFA.

Roberto Rosetti lembrou que o futebol de alta competição tem "muitas situações limite onde há muito cinzento e não apenas preto e branco" e admitiu que o VAR "não é perfeito" e que o debate acerca da utilidade e aplicabilidade "nunca será invertido".

"Se começarmos a controlar com VAR todo o tipo de situações de jogo, vamos criar muita confusão. As penalizações podem alterar o resultado de uma partida", completou o responsável da UEFA.

Na meia-final entre Inglaterra e Dinamarca, corria o minuto 101 do prolongamento quando Sterling arrancou pela direita, enfrentou Maehle e entrou na área dinamarquesa. Ao disputar o lance com o lateral, caiu e Makkelie assinalou falta, originando o golo de Kane que daria o apuramento dos ingleses para a final.

Roberto Rosetti adiantou que, entre 276 incidentes verificados no torneio, o sistema VAR corrigiu 18 decisões originais - 10 diretamente e oito com revisão no relvado -, mostrando-se correto em todas as situações, nove das quais referentes a fora de jogo.