Novo formato da Champions: UEFA vê "o equilíbrio certo" e "receitas sólidas"

Novo formato da Champions: UEFA vê "o equilíbrio certo" e "receitas sólidas"
Redação com Lusa

Declarações de Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, sobre o novo modelo da competição.

O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, considera que o novo formato da Liga dos Campeões, para a temporada 2024/25, "atinge o equilíbrio certo e melhorará o equilíbrio competitivo".

O organismo aprovou esta terça-feira o alargamento da Champions de 32 para 36 equipas, com um novo modelo de competição sem fase de grupos, passando para uma liga única com oito jogos. "Estamos convencidos de que o formato escolhido atinge o equilíbrio certo e que melhorará o equilíbrio competitivo e gerará receitas sólidas, que podem ser distribuídas pelos clubes, ligas e ao futebol das raízes em todo o nosso continente, aumentando o apelo e a popularidade das nossas competições de clubes", explicou o líder da entidade que tutela a futebol europeu.

Em declarações reproduzidas pelo sítio oficial da UEFA, Ceferin afirmou que a decisão tomada mostra que o organismo "está totalmente empenhado em respeitar os valores fundamentais do desporto e em defender o princípio fundamental de competições abertas, com qualificação baseada no mérito desportivo".

Há duas semanas, a Associação de Ligas Europeias de futebol (European Leagues) reiterou as suas preocupações quanto ao sistema de acesso à Liga dos Campeões e a sobrecarga do calendário a partir de 2024, procurando evitar uma desvalorização dos campeonatos nacionais.

A Associação defendeu que "o mérito desportivo nas ligas domésticas deveria ser o único acesso", assim como o número de jogos a disputar por cada equipa na prova ser fixado em oito e não 10.

"Estou muito satisfeito por ter sido uma decisão unânime do Comité Executivo da UEFA, com a Associação Europeia de Clubes, Ligas Europeias e Federações Nacionais a concordarem com a proposta feita. Mais uma prova de que o futebol europeu está mais unido do que nunca", indicou o dirigente esloveno na nota.

O Comité Executivo da UEFA decidiu alterar de 10 para oito o número de jogos a disputar por cada equipa, quatro em casa e quatro fora, e alterou o critério para atribuição de duas das quatro novas vagas, retirando o acesso para os clubes com o coeficiente mais alto.

Das quatro novas vagas, uma vai ser para o terceiro classificado do país em quinto lugar no "ranking" da UEFA, outra para um campeão nacional, ampliando o número de clubes apurados através do denominado 'Caminho dos Campeões', e as duas restantes para as federações com melhor desempenho coletivo dos seus clubes na época anterior (número total de pontos obtidos dividido pelo número de clubes participantes).

Os oito melhores classificados na liga única vão ser apurados para a fase a eliminar da competição, enquanto os classificados entre os nono e os 24.º lugares vão disputar um play-off a duas mãos para apurar outras oito equipas.

Do 25.º para baixo, as equipas vão ser eliminadas e nenhuma vai passar para a Liga Europa.

O Comité Executivo da UEFA, reunido em Viena, confirmou que "todos os jogos antes da final serão ainda disputados a meio da semana, reconhecendo a importância do calendário doméstico de jogos em toda a Europa".

As mudanças no formato vão ser também aplicadas à Liga Europa, com oito jogos na fase de liga, e à Liga Conferência Europa, com seis jogos na fase de liga, incluindo ambas um total de 36 equipas nesta fase.