"Um Ferrari é agradável, mas continua a ser um carro e não me atrai"

"Um Ferrari é agradável, mas continua a ser um carro e não me atrai"

Jogador do Barcelona admite ter "consciência do valor do dinheiro".

O central Clément Lenglet destacou-se no Nancy, tendo trocado o emblema francês pelo Sevilha no mercado de inverno da época 2015/16. Em 2018/19 transferiu-se para o Barcelona e, a partir daí, foi conquistando o seu lugar até se tornar indiscutível.

O internacional francês admite viver bem a vida, mas considera ter "consciência do valor do dinheiro", não o gastando em coisas que considera desnecessárias.

"Não alterei o meu estilo de vida. Não era estrela no Nancy e, na minha opinião, ainda não sou", começou por dizer em entrevista concedida ao L'Est Republicain.

"Tenho consciência do valor do dinheiro, sou uma pessoa muito razoável nesse aspeto. Mas claro que ganho muito bem a vida. Quando vou a um restaurante, se quero um prato de 40€ ou 100€, não olho para o preço e peço-o. Permito-me algumas coisas", continuou, para depois concluir:

"Mas comprar um Ferrari, por exemplo, não. É agradável, mas continua a ser um carro e não me atrai".