"Diferenças? Estou mais maduro, fez-me bem ir para fora"

"Diferenças? Estou mais maduro, fez-me bem ir para fora"

Gonçalo Paciência, avançado do Eintracht Frankfurt, está de regresso à seleção, recusa competição com o pai e explica as diferenças desde a última convocatória.

Diferenças da última chamada à seleção [há dois anos]: "Melhorei bastante e a prova disso é o que tenho feito no último ano, no Eintracht Frankfurt, as coisas têm-me corrido muito bem. Estou um jogador diferente, mais maduro, fez-me bem ir para fora, cresci a nível pessoal e futebolístico".

Era uma convocatória que esperava há algum tempo? "Sim, como disse, é a seleção, é objetivo de todos os jogadores de futebol, quer seja em Portugal, na China ou no Japão. Trabalhámos para o clube, que é onde estamos a maior parte do tempo, mas o objetivo é representar o nosso paós. É um orgulho enorme. Acaba por ser um reflexo do meu trabalho e do qur tenho vindo a fazer".

Vai ter mais sucesso do que o pai, Domingos Paciência? "Não sei. O meu pai teve muito sucesso a nível nacional, por isso se tiver 50 ou 60 por cento do que ele teve para mim já é perfeito. Não tento competir com ele. É meu pai, por isso... É só um exemplo para mim".