"Sabemos que, se lhes dermos bolas fáceis, eles matam-nos. Há que ter cuidado"

"Sabemos que, se lhes dermos bolas fáceis, eles matam-nos. Há que ter cuidado"
Rui Guimarães

Tópicos

Pedro Portela, ponta direita, é um dos vários jogadores que está em "ponto de rebuçado" e, em exclusivo a O JOGO, diz que no main round não há medo de ninguém.

Pedro Portela tem sido um dos Heróis do Mar mais em destaque no Mundial. Leva 18 golos e apenas falhou dois remates. "Claro que estou contente com o meu desempenho. Esta primeira etapa correu bem e espero continuar no mesmo nível. Aliás, estando todos num alto nível seremos muito fortes", garantiu o ponta direita natural de Leiria. "O nosso primeiro objetivo era passar com quatro pontos; tinha de ser, porque queremos ir para os quartos de final, era fundamental", recordou.

No main round, Portugal tem três adversários cotados, passando apenas duas equipas. "Nós sabemos da nossa qualidade como grupo, sabemos que temos qualidade para nos batermos com Noruega, Suíça e França. Mas, para já, vamos lutar por uma vitória contra a Noruega, seria um passo grande para as nossas ambições", diz Portela, que não esqueceu a derrota do ano passado, no Campeonato da Europa, em que os escandinavos eram um dos anfitriões. "No Europeu não fomos consistentes, lembro-me que falhámos muitos remates e eles aproveitam bem. Agora é outro jogo, sabemos que eles são experientes, mas nós temos qualidade. Sabemos que, se lhes dermos bolas fáceis, eles matam-nos. Por isso, há que ter muito cuidado no jogo organizado, não podemos perder bolas no ataque. Mas desta vez eles não vão ter o apoio que tiveram no Europeu. Vão ser jogos com muita qualidade, não há grandes discrepâncias entre as equipas e vamos com tudo para cima deles", rematou.

"Temos seleção para as medalhas"
Os objetivos na Seleção Nacional estão bem elevados e Pedro Portela é mais uma voz a confirmá-lo. "Todos sonhámos ser campeões do Mundo e da Europa, não é? Eu acredito que temos uma excelente seleção para ir às medalhas, mas há um segredo, que é ir passo a passo, sem queimar etapas e focar-nos, por agora, totalmente na Noruega. Só depois a Suíça e só a seguir a França", afirmou o antigo jogador do Sporting. "Estamos a viver bem o Campeonato do Mundo, estou orgulhoso e realizado, há que desfrutar disto. É o meu primeiro Mundial e espero jogar mais alguns, assim como espero jogar mais Europeus", finalizou.