Sara Moreira tenta qualificação para Tóquio'2020 em local improvável

Sara Moreira tenta qualificação para Tóquio'2020 em local improvável
Redação com Lusa

Tópicos

Prova foi transferida de local devido às restrições motivadas pela pandemia de covid-19.

A atleta portuguesa Sara Moreira vai tentar no domingo qualificar-se para a prova da maratona dos Jogos Olímpicos Tóquio'2020, num local improvável, o aeroporto de Twente, nos Países Baixos, e num tempo de "grande incerteza".

"Obviamente, o objetivo passa pela obtenção de uma marca de qualificação olímpica. Nem quero sequer pensar em outro resultado. Se isso acontecer, teremos de fazer uma avaliação", revelou Sara Moreira à Lusa, a dois dias da prova, que foi transferida de Hamburgo para Twente devido às restrições motivadas pela pandemia de covid-19.

Com um recorde pessoal de 02:24.49 horas, Sara Moreira considerou que a marca de acesso a Tóquio'2020, cifrada em 02:29.30, "está perfeitamente ao alcance", mas advertiu que tem "o maior respeito pela maratona" e que "qualquer marca de qualificação olímpica é sempre de grande valia".

"No ano passado diria que talvez fosse uma marca difícil de alcançar, em função da minha condição física, pois vinha de uma longa paragem. Neste momento, considero que é uma marca acessível, pois já estou a treinar de forma quase normal. Gostaria apenas de ter podido correr antes uma meia maratona", observou.

Aos 35 anos, Sara Moreira persegue a quarta participação olímpica nos Jogos Tóquio'2020, adiados para este ano devido à pandemia, a segunda na prova da maratona, na qual desistiu no Rio de Janeiro, em 2016, depois de ter disputado os 3.000 metros obstáculos em Pequim2008 e os 10.000 metros em Londres'2012.

Para a atleta do Sporting, o maior obstáculo é mesmo a "grande incerteza" que a pandemia de covid-19 está a provocar, obrigando a uma "adaptação permanente, uma vez que as competições estão constantemente a mudar, a serem canceladas, adiadas ou transferidas para outros locais, como neste caso".

"Já estava preparada para competir em Hamburgo. Outra coisa que me deixa preocupada com esta alteração é o facto de tratar de um terreno descampado, pois existe a possibilidade de estar vento no dia da prova e isso complicará bastante a tarefa", sustentou.

Para Sara Moreira, a ausência de espetadores ajuda a descaracterizar ainda mais as provas de atletismo, pois "a presença do público é importante para os atletas e confere um ambiente mais colorido", ganhando importância acrescida na prova da maratona.

Sara Moreira deveria ter ao seu lado na linha de partida a compatriota Jéssica Augusto, mas a colega de equipa no Sporting desistiu de participar na maratona de Twente devido a uma tendinite no pé direito contraída em 21 de março, durante os Nacionais de corta-mato longo.

"Acho sempre vantajoso quando competem outros atletas portugueses, porque podemos ajudar-nos mutuamente", observou Sara Moreira, que, com a desistência de Jéssica Augusto fica com a segunda melhor marca pessoal entre as atletas presentes, atrás da mexicana Madaí Pérez (2:22.59).

Portugal tem já duas atletas com marca de qualificação olímpica para a prova da maratona em Tóquio2020: Carla Salomé Rocha (02:24.47) e Sara Catarina Ribeiro (02:26.40), ambas alcançadas em 2019, em Londres e Valência (Espanha), respetivamente.