"Se fosse presidente da Argentina e responsável do Mundial fazia-o em 2023"

"Se fosse presidente da Argentina e responsável do Mundial fazia-o em 2023"

Carmelo Paniagua, responsável pelo Comité de Hóquei em Patins da World Skate, falou sobre o facto de 2021 ter agendo um Europeu, um Mundial e uma Taça das Nações

Carmelo Paniagua, responsável pelo Comité de Hóquei em Patins da World Skate, deu uma entrevista à rádio argentina 2M Al Mundo para abordar a competição em 2021, que prevê duas grandes competições, depois da pandemia ter adiado o Europeu de 2020.

No próximo ano, San Juan (Argentina) deve acolher o Mundial de hóquei em patins (World Roller Games incluem todas as disciplinas da patinagem com Bueno Aires a ser cidade-sede de todas as modalidades extra-hóquei), depois de Roche sur Yon (França) ser anfitriã do Europeu, para não falar que 2021 também tem agendado a Taça das Nações.

"Fui presidente do comité organizador dos World Roller Games de Barcelona, sei o que custa fazer esta competição, devido ao tempo, dinheiro e esforço. Se fosse presidente da Argentina e responsável dos World Roller Games fazia-os em 2023, porque causa da margem de recuperação, económica, social e não sabemos a evolução da Covid-19", afirmou o dirigente, que também comentou: "Fazer os World Roller Games no próximo ano é um problema por dois motivos: não sabemos como vai evoluir o coronavírus e não sabemos se vai haver uma vacina."

Para Carmelo Paniagua, "talvez San Juan seja a província que está melhor, mas organizar uns World Roller Games demora muito tempo, é preciso esforço, sacrifício e dinheiro."

"Daqui a duas semanas, o comité executivo da World Skate vai reunir.se e vamos falar disto. Estou convencido que San Juan vai ser o palco do próximo mundial, se é num ano ou no outro, tanto faz, mas vai ser em San Juan", avançou o espanhol, que também avançou: "Se os World Roller Games de San Juan e o Europeu, que foi suspenso, acontecessem em 2021 seria o ideal, caso contrário teremos de ajustar tudo, mas em princípio será assim. Há também o centenário do Torneio de Montreux, por isso será um ano muito intenso, com estas três competições."

Recorde-se que Espanha defenderá o título conquistado em 2018, na Corunha, e Portugal defenderá o título mundial, obtido em 2019, em Barcelona.