"Não sabia que Verstappen tinha ido para o hospital. Não vou esconder as emoções"

"Não sabia que Verstappen tinha ido para o hospital. Não vou esconder as emoções"
Redação

Tópicos

Piloto da Mercedes causou, em junho passado, a saída do rival da Red Bull da pista por força de um choque entre os monovolumes em solo inglês

Na ressaca do acidente entre Hamilton e Verstappen no GP da Grã-Bretanha, em 18 de julho, que forçou a saída do neerlandês da pista, o diretor-geral da Red Bull, Cristian Honer, teceu críticas ao piloto britânico por ter festejado o triunfo, mas este veio garantir que o fez sem saber do estado do atual líder do Mundial da F1.

"Não acredito que o nosso comportamento tenha sido desrespeitoso. Uma coisa é saber e celebrar, outra coisa é não saber. Eu não sabia [que Verstappen tinha ido para o hospital], mas era o grande prémio no meu país. Trabalhámos incrivelmente duro. (...) Não vou esconder as minhas emoções", afirmou o piloto da Mercedes.

O atual segundo classificado do Mundial de F1 assegurou que, no decurso dessa corrida, lhe disseram que Verstappen "estava bem" fisicamente e que só se apercebeu da ida do rival para o hospital "nos meios de comunicação social". "Nenhum de nós quer ver outro piloto ferido ou em perigo", sublinhou Hamilton.

Em junho passado, o piloto britânico chocou com Max Verstappen, no GP da Grã-Bretanha, e recebeu uma penalização de dez segundos por isso, cumprida nas 'boxes', que não o impediu de lograr 99.º triunfo na carreira e encurtar para oito pontos a desvantagem para o neerlandês.

O piloto dos Países Baixos ficou arredado da corrida em solo inglês ao sofrer um forte impacto quando acelerava em primeiro lugar, de 51 G (51 vezes a força da gravidade), e necessitou de, imediatamente, ir para o hospital. Não obstante as consequências, Hamilton frisou que "repetiria exatamente a manobra" em Copse.

Os festejos do piloto da Mercedes, ocorridos no país-natal, foram depois considerados "desrespeitosos" por Cristian Honer, diretor-geral da Red Bull, assumindo-se "dececionado" com tal ato protagonizado pelo vencedor, pois a escuderia alemã já "sabia da hospitalização" de Max Verstappen.