Tomás Alonso e Dinis Borges sonham com o campeonato do mundo de Superbikes

Tomás Alonso e Dinis Borges sonham com o campeonato do mundo de Superbikes
Redação com Lusa

Tópicos

Os motociclistas portugueses Tomás Alonso e Dinis Borges estão presentes na terceira etapa do Mundial de SuperBikes, que decorre no Estoril este fim de semana, e têm esperança de um dia poderem fazer o campeonato a tempo inteiro.

O Autódromo do Estoril recebe este fim de semana o Mundial de SuperBikes e, inserido no programa, está também o Mundial de SuperSport300, que contou com a presença dos dois pilotos portugueses na posição wild-card (pilotos livres).

Tomás Alonso é bicampeão nacional e esta não é a primeira vez que participa numa etapa do campeonato do mundo, tendo presenças registadas em 2018, 2019 e 2021. O piloto, que este ano corre com as cores da Quaresma Motos Racing Team, trouxe para o Estoril a Kawasaki Ninja 400 do campeonato nacional e vê esta etapa como uma porta de entrada para o campeonato do mundo.

"É bastante importante para mim estar aqui. As expectativas para este fim de semana eram altas, o objetivo principal é pontuar e, se possível, ficar entre os 10 primeiros. Infelizmente não está a correr como esperado, mas amanhã (domingo) temos outra corrida, não vamos baixar os braços e vamos com tudo", afirmou o piloto de 19 anos, depois da primeira corrida do fim de semana, que teve de abandonar depois de um incidente de corrida com outro piloto.

A correr em Portugal e em Espanha, Tomás não esconde o objetivo a longo prazo de se tornar campeão do mundo, sabendo que tem várias etapas até lá chegar. Para já, está focado em "estar sempre entre os 10 primeiros nas corridas em Espanha", objetivo que ainda não falhou, à exceção da corrida de hoje, na qual sofreu uma queda.

Tomás Alonso sempre fez questão de aprender com as grandes referências nacionais, tendo sido uma das caras da Oliveira Cup, na qual se sagrou campeão, em 2016, e também da Miguel Oliveira Fan Club Racing Team.

O fim de semana não começou como esperado para Alonso, ao contrário do outro piloto português - Dinis Borges. Com apenas 17 anos, esta é a segunda vez que participa numa prova do campeonato do mundo e, na primeira corrida, conseguiu rodar entre os 15 primeiros.

"Foi uma corrida incrível. É a segunda vez que eu participo no campeonato do mundo e estar a lutar no grupo da frente, é um grupo de 20 pilotos a rodar no mesmo segundo, na mesma décima. Não é fácil, estive na 11.ª posição, depois caí algumas porque o ritmo é muito elevado, mas estou bastante contente por ter pontuado e agora é tentar fazer melhor", afirmou o piloto da Rame Moto.

Também a correr com uma Kawasaki Ninja 400, Dinis confessou que a presença no campeonato do mundo a tempo inteiro depende "da quantidade de apoios que conseguir" e mostrou-se agradecido pela oportunidade de correr no Estoril como wild-card.

"É incrível, porque sei que estou ao lado dos melhores do mundo e andei ao ritmo dos melhores do mundo e esse é para mim, sem dúvida, um dos objetivos da minha carreira", concluiu.

Dinis acrescentou ainda que o grande objetivo de momento é "chegar ao mundial de Superbikes a tempo inteiro" e depois quer focar-se em ser "campeão das 300, possivelmente das 600 e depois SuperBikes". O piloto de 17 anos não escondeu que o verdadeiro sonho é, um dia, poder competir no campeonato de MotoGP.

Para já e com uma corrida para concluir no domingo, Dinis reforça a vontade de ficar entre os 10 primeiros. A corrida 2 da categoria SuperSport 300 está agendada para as 15:15 de domingo.