"Sabíamos que éramos favoritos, mas é sempre preciso mostrar na mesa"

"Sabíamos que éramos favoritos, mas é sempre preciso mostrar na mesa"
Lusa

Os jogadores da seleção masculina de ténis de mesa, que esta sexta-feira garantiram o apuramento para os Jogos de Tóquio'2020, classificaram 'de "perfeito" o torneio no qual lograram a qualificação.

Após a vitória por 3-0 sobre a Bélgica, na segunda ronda, e já depois de um triunfo por 3-0 com a Ucrânia na sexta-feira, Tiago Apolónia explicou que esta "era uma qualificação muito desejada para os quartos Jogos Olímpicos".

"Esta era uma competição complicada. Embora sejamos, a meu ver, a segunda melhor equipa europeia nos últimos 10 anos, um torneio de qualificação é muito complicado, com duas das melhores equipas europeias [Ucrânia e Bélgica]. Estamos muito contentes", atirou.

O jogador enalteceu o estágio feito no início desde ano, bem como uma preparação "muito boa, de meses", e descreveu como "perfeito" o resultado alcançado, um sentimento espelhado por Marcos Freitas.

"Foi perfeito, conseguimos o nosso objetivo e de uma maneira muito superior, com 3-0 e 3-0. Conseguimos a superioridade na mesa, sabíamos que éramos favoritos, mas é sempre preciso mostrar na mesa", referiu.

Por seu lado, João Monteiro vê Portugal "entre as melhores seleções do mundo", depois de dois jogos "muito difíceis, onde os pequenos pormenores e a união do grupo fizeram a diferença".

Já a olhar para Tóquio2020, Apolónia admitiu que a equipa portuguesa é já "muito experiente", mas falta "algum tempo e há coisas importantes para jogar até lá, como o campeonato do mundo por equipas".

"Vamos [para os quartos Jogos Olímpicos da equipa] com a mesma motivação. Para já, é difícil falar dos Jogos, queremos desfrutar de uma qualificação muito difícil, treinar da melhor maneira e preparar bem", apontou.

No final de dois jogos "muito intensos", algo "normal nestes torneios em que há muito em jogo", Marcos Freitas realçou o quinto lugar conquistado pela seleção em Londres2016, bem como o 'seu' quinto posto no Rio2016, para falar das hipóteses de uma medalha.

"Não somos favoritos às medalhas, mas estamos logo atrás, no grupo dos que podem ganhar aos favoritos, e é isso que queremos fazer. Tenho dois quintos lugares e o sonho, realmente, é ganhar uma medalha olímpica. (...) Com atletas deste nível, tudo é possível. Temos de reunir todas as condições", comentou.

A seleção lusa vai chegar a Tóquio2020 após um bronze nos Mundiais de 2019, tendo hoje garantido, também, que dois dos três elementos da seleção vão participar na prova individual masculina, o que acontecerá pela quinta vez.

No primeiro encontro de hoje, Tiago Apolónia e João Monteiro bateram os belgas Florent Lambiet e Martin Allegro, por 3-1 (12-10, 11-6, 8-11 e 13-11).

Nos singulares, Marcos Freitas derrotou Cedric Nuytinck, por 3-2 (11-3, 12-10, 8-11, 9-11 e 12-10), com João Monteiro a assegurar a qualificação, frente a Allegro, por 3-0 (12-10, 11-9 e 11-8).