Exclusivo No mundo do doping não há inocentes

No mundo do doping não há inocentes

André Cardoso acusou EPO, o que nas décadas mais recentes equivale ao mais grave dos crimes, foi despedido da Trek-Segafredo, que planeava levá-lo à Volta a França de 2017 como braço direito de Alberto Contador, e, como devem ter percebido, escondeu-se

No ciclismo não existe presunção de inocência. Quando um atleta acusa doping - ou se suspeita disso - é imediatamente considerado culpado. Pela opinião pública, pela sua equipa, que o despede no mesmo dia, e pela maioria dos jornalistas. E a reação de quem entra nesse inferno é, normalmente, esconder-se.